Angra 1 volta ao SIN, depois de parada para reabastecimento

Publicados

A usina nuclear Angra 1 foi conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) às 5h17 desta quinta-feira (22), após a realização de uma parada programada de reabastecimento de combustível. A informação foi dada pela Eletronuclear, empresa responsável pela operação e construção das usinas termonucleares no Brasil.

A unidade estava desligada desde 11 de agosto e deve alcançar 100% de potência no domingo (25). Com capacidade para geração de 640 megawatts (MW) elétricos, Angra 1 gera energia suficiente para suprir uma cidade de um milhão de habitantes. A unidade entrou em operação comercial em 1985.

Em nota, a Eletronuclear informou que, durante a parada, cerca de um terço do combustível nuclear foi substituído.

As equipes da usina efetuaram ainda nesse período atividades de inspeção e manutenção periódicas e diversas modificações de projeto, que precisam ser feitas com a planta desligada.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Camex aprova redução da tarifa de importação sobre brinquedos
Propaganda

ECONOMIA

Custo da construção sobe 0,10% em setembro, diz FGV

Publicados

em

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) subiu 0,10% em setembro. O resultado está abaixo do que foi registrado em agosto, quando subiu 0,33%. No ano, o índice acumula avanço de 8,91% e de 10,89% em 12 meses.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), que divulgou os números hoje (27), em setembro de 2021, o índice teve alta de 0,56% no mês e de 16,37% no acumulado de 12 meses.

Os resultados indicam ainda que a taxa do índice relativo a materiais, equipamentos e serviços caiu de 0,14% em agosto para -0,06% em setembro. Já o índice referente à mão de obra variou 0,26% em setembro, depois de avançar 0,54% em agosto.

Materiais, equipamentos e serviços

Depois de subir 0,03% em agosto, a taxa referente a materiais e equipamentos, no grupo materiais, equipamentos e serviços, recuou 0,14% em setembro. “Três dos quatro subgrupos componentes apresentaram decréscimo em suas taxas de variação, destacando-se materiais para estrutura, cuja taxa passou de -0,08% para -0,42%”, informou.

Leia Também:  Faturamento da indústria de máquinas registra queda de 6% em março

A taxa referente a serviços passou de 0,68% em agosto para 0,34% em setembro. “Neste grupo, vale destacar o recuo da taxa do item refeição pronta no local de trabalho, que passou de 1,54% para 0,07%”, completou.

Mão de obra

A taxa relativa ao índice da mão de obra variou 0,26% em setembro. Em agosto tinha registrado alta de 0,54%.

Capitais

Ainda em setembro, três capitais tiveram queda nas taxas de variação: Brasília, Recife e São Paulo. Em movimento contrário, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre registraram alta nas suas taxas de variação.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA