Bolsonaro pede parecer para desobrigar uso de máscara por vacinados

Publicados


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (10), durante cerimônia no Palácio do Planalto, que pediu ao Ministério da Saúde um parecer para desobrigar o uso de máscara por pessoas que já estejam vacinadas ou que tiveram a covid-19. 

“Acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês sabem quem é. Nosso ministro da Saúde. Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados para tirar este símbolo que, obviamente, tem a sua utilidade para quem está infectado”, afirmou o presidente durante solenidade para anúncio de medidas do Ministério do Turismo.

A obrigação do uso de máscara em espaços e ambientes públicos, entre outras medidas sanitárias, é definida em decretos estaduais e municipais, por iniciativa de prefeitos e governadores, conforme decisão vigente do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com epidemiologistas, a população vacinada ou que já teve a doença deve continuar usando máscaras porque, mesmo imunizada, ainda pode transmitir o vírus para outras pessoas. Segundo especialistas, a desobrigação do uso de máscara só seria recomendável quando o país alcançar um número expressivo de pessoas completamente vacinadas.   

Leia Também:  Covid-19: prefeitura diz que lockdown foi positivo em Araraquara

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Governo libera R$ 2,8 milhões para programa Consultório na Rua

Publicados

em


O Ministério da Saúde liberou hoje (18) R$ 2,8 milhões para ampliar o programa Consultório na Rua que reforça as ações de combate à covid-19 junto as pessoas em situação de rua. O recurso será destinado aos municípios que dão assistência aos serviços de saúde às pessoas em situação de vulnerabilidade. Desde o começo do ano, já foram repassados mais de R$ 20 milhões para custeio da iniciativa.

O projeto conta com 158 equipes espalhadas por todo o Brasil compostas por multiprofissionais itinerantes, que desenvolvem ações integrais de saúde frente às necessidades da população em situação de rua.

“É um projeto prioritário de atenção primária, levar assistência à saúde para aqueles que mais precisam. O governo tem se preocupado muito com esses aspectos”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que acompanhou o atendimento de uma equipe de Consultório na Rua, na Praça da Cruz Vermelha, na região central do Rio de Janeiro.

Segundo a pasta, estima-se que aproximadamente 140 mil cidadãos maiores de 18 anos, que se encontram em condição de extrema pobreza na rua, devem se vacinar contra o novo coronavírus.

Leia Também:  Taxa de ocupação de leitos de UTI na rede SUS do Rio mantém-se em 92%

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA