Câncer em crianças e jovens tem 80% de cura com diagnóstico precoce

Publicados


O Dia Nacional de Enfrentamento ao Câncer Infantojuvenil é celebrado nesta segunda-feira (23). A data foi criada para conscientizar sobre a importância do diagnóstico e do tratamento precoce da doença. O Brasil registra 8 mil novos casos por ano. E o mais triste: representa a primeira causa de óbitos entre crianças e adolescentes na faixa etária de zero a 19 anos. Os números chamam atenção dos profissionais de saúde que atuam no combate à doença.     

O médico oncologista Marcos Saramago ressalta a importância do acolhimento da família e da criança no momento do diagnóstico.

Ouça a matéria da Radioagência Nacional:

Em todo o mundo, segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, a estimativa é que, todos os anos, são diagnosticados 215 mil casos em crianças menores de 15 anos, e cerca de 85 mil em adolescentes entre 15 e 19 anos.

No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde, acredita que entre 2020 e 2022 o número de novos casos de câncer infantojuvenil pode atingir, por ano, mais de 4,3 mil meninos e 4,1 mil meninas. 

Leia Também:  Média de mortes por Covid-19 no país atinge menor patamar desde abril

Ao contrário da maioria dos tipos de câncer em adultos, os fatores de risco relacionados com o estilo de vida não influenciam a possibilidade de uma criança ou adolescente desenvolverem a doença, cujos sintomas podem ser parecidos com os de outras enfermidades comuns à idade.

Mas se por um lado a incidência de câncer infantil tem aumentando no mundo, por outro o progresso no diagnóstico e  tratamento do câncer nesses casos também aumentou, em especial nas últimas quatro décadas. Segundo especialistas, em torno de 80% dos pacientes podem ser curados. Tudo vai depender do diagnóstico precoce e tratamento em centros especializados.

Edição: Ana Pimenta

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

CFM diz que vacina possibilita redução do número de casos de covid-19

Publicados

em


O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou uma nota na qual, além de se manifestar favorável à vacinação contra o covid-19, “clama às autoridades a adoção de uma ampla campanha de vacinação”, que permitirá ao país “lograr êxito em sua cruzada” contra a pandemia.

A manifestação se dá após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter dado o aval positivo em relação à segurança e à eficácia dos imunizantes. De acordo com o CFM, “os resultados divulgados apontam taxas de eficácia que tornam possível a redução do número de casos de covid-19 de maneira geral e, em particular, em relação às formas graves da doença”, informou por meio de nota.

“A imunização de grande parcela da população é fundamental para que haja redução significativa da circulação do vírus e, consequentemente, da transmissão. Assim, espera-se controlar o avanço da pandemia e permitir a retomada plena das atividades econômicas e das relações em sociedade, tão logo grande parte da população esteja vacinada”, complementa do conselho.

Leia Também:  Número de infectados pela Covid-19 no Brasil chega a 8,32 milhões

O CFM ressaltou ser necessário respeitar as decisões tomadas pela Anvisa no que se refere à aprovação emergencial ou definitiva das vacinas, e com relação à transparência nos processos decisórios, bem como de monitoramento e fiscalização no período pós-vacinação. Pede, ainda, a valorização do Programa Nacional de Imunização.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA