Ciência é Tudo, da TV Brasil, explica propósito da medicina nuclear

Publicados

Especialidade médica inovadora, a medicina nuclear utiliza a tecnologia como recurso para suas aplicações. O assunto é examinado na edição inédita do Ciência é Tudo, programa que a TV Brasil exibe neste sábado (14), às 9h.

A produção também destaca uma pesquisa que pode ajudar no tratamento da doença de Parkinson. Outra pauta indica as ações transformadoras voltadas ao uso dos veículos elétricos no país. O Ciência é Tudo ainda revela a dinâmica dos pesquisadores brasileiros na Antártica.

Radiofármacos

A primeira matéria aborda a medicina nuclear, explica o emprego dessa prática em prol dos pacientes e indica como o Brasil está posicionado neste setor. Entre outras informações, a atração mostra que o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) produz 85% dos radiofármacos consumidos no país.

A medicina nuclear utiliza quantidades reduzidas de certas substâncias radioativas, por intermédio dos chamados radiofármacos, para pesquisa, exames diagnósticos e tratamentos terapêuticos, além de auxiliar em algumas cirurgias.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN), em território nacional existem 436 serviços relacionados à área e são realizados cerca de dois milhões de procedimentos com radiofármacos. As substâncias do composto servem para tratar doenças como o câncer.

Ciência é Tudo, da TV Brasil, explica propósito da medicina nuclear Ciência é Tudo, da TV Brasil, explica propósito da medicina nuclear

Divulgação/TV Brasil

Recentemente foi inaugurado no IPEN um laboratório com equipamento denominado Snom – do inglês scanning near field optical microscopy. Esse microscópio óptico subnano a laser tem resolução que permite um alto nível de caracterização dos materiais analisados. Apenas outras duas instituições no mundo possuem um equipamento deste tipo.

Doença de Parkinson

A segunda reportagem desta edição do programa mostra um estudo realizado por cientistas da Universidade de São Paulo (USP), que pode contribuir no tratamento e no combate ao mal de Parkinson e evitar a evolução da doença.

A enfermidade causa a morte ou a degeneração de células do cérebro, diminuindo a produção de dopamina e afetando o sistema nervoso central. Uma substância identificada pelos pesquisadores preveniu 60% da morte de células cerebrais em testes realizados em camundongos.

Ciência é Tudo, da TV Brasil, explica propósito da medicina nuclear Ciência é Tudo, da TV Brasil, explica propósito da medicina nuclear

Programa aborda desenvolvimento de veículos elétricos no Brasil (TV Brasil)

O Ciência é Tudo ainda traz as iniciativas inovadoras direcionadas ao desenvolvimento de veículos elétricos no país. Organização social do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) une empresas e startups em projetos inovadores em eletromobilidade.

Apresentada por Waldecir de Oliveira, a produção da TV Brasil ainda conta com uma matéria especial que traça um panorama sobre as atividades desenvolvidas na rotina de trabalho dos pesquisadores brasileiros na Antártica.

Sobre o programa

Desde 2020, o Ciência é Tudo apresenta informações sobre a história da ciência, invenções do ser humano, curiosidades e reflexões sobre o impacto da ciência e da tecnologia no dia a dia das pessoas. Também aborda as novidades sobre investimentos e políticas públicas para fomento científico. O programa é uma parceria da TV Brasil com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

Em sua segunda temporada, o programa está mais dinâmico e com novos quadros. Ele segue com a missão de promover divulgação científica e ajudar o telespectador a entender a ciência por trás dos fenômenos cotidianos.

Na primeira temporada, o programa se adaptou às necessidades impostas pela pandemia de covid-19, e abordou diversos temas relacionados ao coronavírus, como as pesquisas para desenvolvimento de vacinas e equipamentos e a busca de tratamento adequado.

A ciência no cotidiano também inspirou episódios sobre biologia, física, química, matemática, engenharia, cinema e astronomia, entre outras áreas. E ainda, uma viagem ao Maranhão mostrou detalhes sobre o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), em operação desde 1989 para lançar foguetes.

Ao vivo e on demand

Acompanhe a programação da TV Brasil pelo canal aberto, TV por assinatura e parabólica. Sintonize: tvbrasil.ebc.com.br/comosintonizar.

Seus programas favoritos estão no TV Brasil Play, pelo site play.ebc.com.br ou por aplicativo (app) no smartphone. O app pode ser baixado gratuitamente e está disponível para Android e iOS. Assista também pela WebTV: tvbrasil.ebc.com.br/webtv.

Serviço

Ciência é Tudo – sábado, dia 14/5, às 9h, na TV Brasil

Facebook – https://www.facebook.com/tvbrasil
Twitter – https://twitter.com/TVBrasil
Instagram – https://www.instagram.com/tvbrasil
YouTube – https://www.youtube.com/tvbrasil
TikTok – https://www.tiktok.com/@tv.brasil

Para saber como sintonizar a TV Brasil em sua cidade, acesse: tvbrasil.ebc.com.br/comosintonizar.

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Três pessoas morrem em acidente de ônibus na Rodovia Washington Luís
Propaganda

GERAL

Ibama aplicou 3.800 autos de infração contra desmatamento este ano

Publicados

em

Nos primeiros quatro meses deste ano, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) realizou 3.800 autos de infração, arrecadando mais de R$ 280 milhões em multas contra o desmatamento na Amazônia. Os dados foram repassados pelo diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Samuel Vieira de Souza, ao programa A Voz do Brasil nesta segunda-feira (23).

Segundo Souza, no ano passado, o órgão realizou mais de 11.500 ações de fiscalização. Desse total, 3.800 ações foram contra o desmatamento dentro do bioma amazônico. Foram 9.162 autos de infração e mais de R$ 163 bilhões em multas.

Hoje, o Ibama atua com prioridade nos estados do Pará, sul do Amazonas, Rondônia e norte do Mato Grosso. “São essas áreas hoje, esse arco do desmatamento que nós procuramos efetivar nossas ações para combater mais efetivamente o desmatamento”.

O Ibama também atua em outras frentes de trabalho como tráfico de flora e fauna, biopirataria e a pesca ilegal.

Para aumentar a fiscalização, no segundo semestre, o órgão deve receber mais 500 servidores aprovados em concurso. Além disso, o Ibama também adquiriu novos sistemas de monitoramento. “Não adianta nós chegarmos na área que foi desmatada. Nós temos de chegar na área que o desmatamento está começando e cancelar a sua projeção. Chegar numa área que já está desmatada apenas para autuar, embargar, não é o objetivo da fiscalização ambiental”, disse.

Leia Também:  Rio Acre transborda e famílias estão desabrigadas em Rio Branco

Para este ano, o Ibama terá um aporte de R$ 198 milhões para ações de combate ao desmatamento e prevenção de incêndios florestais.

Souza falou também sobre o PrevFogo, que atua no combate aos incêndios florestais em áreas federais. Para este ano há a contratação de quase 1.800 brigadistas, a maioria indígenas ou assentados.  “Que são contratados no local, treinados no local estão ali prontos para efetuar o primeiro combate aos incêndios florestais dentro daquela área, ou seja, é a primeira linha de frente”, disse Souza.

Veja o programa aqui:

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA