Desabamento de imóvel faz duas vítimas na zona sul de São Paulo

Publicados


O desabamento de um imóvel na Rua Luís de Góis, na Vila Saúde, Zona Sul de São Paulo, resultou na morte de duas pessoas na manhã desta quinta-feira (10).

Segundo informações da assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu em um canteiro de obras: um trator executava o serviço de demolição da estrutura de um estacionamento, quando colidiu com a edificação, que desabou sobre os trabalhadores.

Um homem, de aproximadamente 30 anos, foi retirado com ferimentos nas mãos. Outros dois homens que trabalhavam na obra foram retirados dos escombros sem vida.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros da capital, 15 viaturas atuaram no local.

Matéria ampliada às 14h25

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo de São Paulo autua parques por aglomeração
Propaganda

GERAL

Após 13 anos de Lei Seca, DF teve redução de mortes no trânsito

Publicados

em


A Lei Seca completa hoje (19) 13 anos de vigência. A norma entrou em vigor no dia 19 de junho de 2008 para modificar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e definir punições mais severas para motoristas que dirigem sob a influência de álcool.

No Distrito Federal, um levantamento feito pelo Departamento de Trânsito (Detran) mostra que houve redução de mortes no trânsito a partir da aplicação da lei. No período entre junho de 2007 e junho de 2008, um ano antes da vigência da lei, a capital federal registrou 500 mortes no trânsito. No 13° ano da norma, entre junho de 2020 e junho deste ano, foram 170 mortes.

A pesquisa também mostra que houve aumento no número de multas aplicadas a motoristas flagrados dirigindo alcoolizados. Entre 2008 e maio de 2021, 187 mil infrações foram registradas. Antes da Lei Seca, 999 condutores foram autuados. Em 2008, ano seguinte de vigência, 2,6 mil foram multados.

Pelo Código de Trânsito, dirigir após o consumo de álcool é infração gravíssima, cuja multa é de R$ 2.934,70. No caso de reincidência, a infração é dobrada e sobe para R$ 5.869,40. Também é considerada infração gravíssima se recusar a soprar o bafômetro.

Leia Também:  Número de acidentes em rodovias federais cai, mas letalidade aumenta

Além da punição administrativa, a conduta também pode ser considerada crime se o bafômetro indicar concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar. A pena é de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de dirigir.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA