Designer brasileiro propõe carro elétrico com bicicleta acoplada

Publicados


source
Volkswagen Go2, o subcompacto elétrico que leva uma bicicleta na traseira
Divulgação

Volkswagen Go2, o subcompacto elétrico que leva uma bicicleta na traseira

O designer paulista Danilo Makio Saito elaborou um conceito que chamou atenção na imprensa automotiva internacional. Visando explorar suas ideias e soluções para a mobilidade urbana, criou o modelo chamado de Volkswagen Go2 em um projeto 3D. Apesar do nome, a fabricante alemã não tem envolvimento.

O Go2 é um veículo “dois em um”. Além de automóvel, ele tem um compartimento especial para levar uma bicicleta elétrica . Ainda que o conceito tenha sido projetado por Danilo Saito em meados de 2014, a ideia geral do projeto continua atual e interessante até os dias de hoje.

Saito imaginou um carro elétrico com bateria montada na parte traseira. Dessa forma, com a bicicleta elétrica acoplada ao porta-malas, ela também estaria sendo carregada. Trata-se de uma solução interessante para os dias em que as ruas estão mais cheias e você precisa estacionar em um local mais distante.

Leia Também:  Novo Renault Logan tem peças registradas no Brasil

Outro recurso que chama atenção na bicicleta elétrica é o garfo dobrável. Alguns escritórios não contam com bicicletários, dificultando a acessibilidade de quem usa este tipo de veículo. Com um modelo dobrável, basta chegar ao seu destino, destravar o garfo e levá-la desmontada para o escritório, de forma que não ocupe espaço.

O designer ainda imaginou um aplicativo que mostra a melhor rota para chegar ao veículo estacionado. Confira a galeria do modelo acima.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

Como levar carga extra no carro sem ser multado

Publicados

em


source
Suporte de bicicletas pode exigir uso de régua de sinalização, com luzes e placa adicionais
Divulgação

Suporte de bicicletas pode exigir uso de régua de sinalização, com luzes e placa adicionais


Está com o carro cheio e vai utilizar um bagageiro externo ou levar as bicicletas das crianças em um suporte externo? Pois a legislação de trânsito  determina regras para o transporte de cargas do lado de fora dos carros de passeio e comerciais leves.


De acordo com a Resolução nº 349/2010 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), o uso do bagageiro de teto é permitido, mas desde que a carga transportada e do suporte não ultrapassem 50 cm de altura ou o comprimento e a largura máxima da parte superior do veículo. Mesmo o uso do porta-malas também tem regras, com a bagagem sendo limitada à altura da linha dos vidros para não obstruir a visibilidade do condutor.

Leia Também:  Conheça 5 seminovos bons, mas que são ruins de manutenção

Nas caso das picapes , é permitido o transporte de cargas com a tampa da caçamba aberta, mas desde que o balanço traseiro (composto pela distância entre o centro do eixo traseiro e o final da carga excedente) não ultrapasse 60% do valor da distância entre os dois eixos do veículo.

Extensor de caçamba é opção dentro da lei para transportar cargas maiores em picapes
Divulgação

Extensor de caçamba é opção dentro da lei para transportar cargas maiores em picapes


Você viu?

A carga extra deve ser sinalizada com uma régua ou extensor de caçamba, equipado um sistema de sinalização luminosa e refletiva. No caso de a placa traseira ficar encoberta, será necessário a instalação de uma chapa adicional ao lado direito da traseira do veículo.

O transporte de bicicletas pode ser feito por meio de suportes específicos no teto (situação em que não se aplica a regra de altura máxima de 50 cm dos bagageiros) ou na traseira do automóvel.

Se o suporte encobrir a placa ou as luzes do veículo, vale a mesma regra das picapes para a instalação de um régua sinalizadora com placa e luzes adicionais.

Leia Também:  Novo Renault Logan tem peças registradas no Brasil

Multas e punições

Levar carga de maneira irregular pode dar em multa de até R$ 293,47 e 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação
Divulgação

Levar carga de maneira irregular pode dar em multa de até R$ 293,47 e 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação


Vale destacar que rodar com a chapa de identificação encoberta é considerado infração gravíssima, com multa de R$ 293,47, perda de sete pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e a apreensão do veículo.

A carga em condição irregular em carros de passeio é punida com multa de R$ 195,23 e perda de 5 pontos na habilitação. Já o transporte de carga fora das especificações da portaria em uma picape também é considerado uma punição grave. Nestes dois casos, o veículo fica retido até que seja resolvido o problema da bagagem fora dos padrões.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA