Dr. Fabiano Moura

Publicados

Tontura

Ter a sensação que vai desmaiar, subitamente, e a impressão que o ambiente está girando, mesmo com tudo estático, são algumas das características da tontura. Tal quadro, contudo, não é uma doença em si, mas um sintoma de que o corpo passa por algum desequilíbrio. Apesar de ser bastante corriqueira, a tontura não deve ser deixada de lado.

Basicamente, o labirinto funciona como uma balança de dois pratinhos, para dar equilíbrio. Se um lado desse balizador está descompensado, o cérebro entende que estamos pendendo, o que pode resultar em náuseas, vômito e desequilíbrio.

Entre as inúmeras causas de problemas no labirinto, é possível citar: hipertensão, reumatismos, diabetes, utilização de substâncias ototóxicas (alguns antibióticos e anti-inflamatórios que alteram as funções do ouvido), alterações bruscas de pressão barométrica (mergulhos e viagens de avião) ou do metabolismo infecções por vírus e bactérias, doenças próprias do ouvido, excesso de cafeína, tabagismo, álcool ou drogas, aterosclerose, traumas sonoros, problemas de coluna cervical ou de articulações da mandíbula, estresse, quadros psicológicos, traumatismos na cabeça.

Diabéticos, atenção! Por causa dos níveis de glicose, pessoas diabéticas também podem desenvolver um problema relacionado ao equilíbrio chamado VPPB (vertigem posicional paroxística benigna). Nele, pequenos cristais que fazem parte do sistema auditivo, também chamados de otólitos, vão parar em locais errados e, com isso, ocorre um quadro de tontura.

Leia Também:  Dr. Fabiano Moura

Para tratar o problema, a melhor via é estabilizar o diabetes e também ir ao otorrinolaringologista para fazer manobras mecânicas para que os pequenos cristais possam voltar ao seu devido lugar e assim diminuir ou acabar com a tontura de forma rápida.

Outros quadros que podem ocasionar o movimento dos cristais para além de sua cavidade de origem são problemas metabólicos, como hormônios da tireoide fora do nível padrão ou acidentes envolvendo impacto. Neste último caso, os cristais são “lançados” para áreas erradas por causa do movimento brusco.

Muitas pessoas julgam que é labirintite todo e qualquer quadro de tontura. Com isso, acabam recorrendo, até mesmo sem a indicação de um profissional, a medicamentos para o controle desta inflamação do labirinto ou sedativos labirínticos, sem entender a causa real do problema. Com isso, a pessoa pode perceber uma melhora momentânea, mas, sem tratar a causa, a tontura volta e pode acompanhar a vida do paciente.

Vale ressaltar que os problemas com o labirinto dificilmente causam desmaio. Se a tontura evoluir para a perda de consciência, o ideal é procurar um neurologista.

Leia Também:  Luiz Cláudio

Após ter o diagnóstico em mãos, o paciente pode receber medicamentos para aliviar a tontura, fazer manobras com a cabeça para colocar os cristais no lugar e, principalmente, se submeter a tratamentos para sanar o problema central envolvendo a vertigem. Exercícios para as pernas, ingestão de líquidos e evitar locais muito quentes também ajudam pessoas que têm problemas de tontura relacionadas à pressão sanguínea, como a hipotensão postural.

Evitar o cigarro e a ingestão de bebida alcoólica ou cafeína em excesso são pontos importantes para quem não quer sentir tontura. As atividades físicas previnem a obesidade e fortalecem a musculatura, evitando problemas metabólicos que podem causar vertigem, também sendo ótimos aliados do equilíbrio. Fracionar a dieta também é um bom caminho. Procure alimentar-se a cada três horas, evitando grandes quantidades de comida, excesso de sal e açúcar. Tome muito líquido também. A maior filtração renal elimina as toxinas acumuladas no organismo, que funciona em maior equilíbrio quando hidratado. Por último, e talvez o mais difícil atualmente, é procurar relaxar.

Essas são as dicas do Dr. Fabiano Santana Moura. Otorrinolaringologista. Atende no Centro Clínico e Diagnóstico São Pio X. Fone: 3307 1505 Whatsapp 9962 6052.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Colunistas

Dr. Fabiano Moura

Publicados

em

Você tem nariz entupido?

Vou falar aqui de duas causas comuns de obstrução nasal: rinite e sinusite.

O termo sinusite vem de sinus, que são cavidades no nosso rosto ao lado do nariz (ou seios paranasais). “Ite” é o sufixo que denota inflamação. Então, sinusite é uma inflamação nos sinus. Ela pode acometer um ou mais dos quatro seios paranasais: maxilar, etmoidal, frontal e esfenoidal. Muitas vezes, instala-se como complicação de gripe, resfriado, rinite alérgica. Também pode ser causada pela exposição contínua ao ar condicionado ou, ainda, por irritações ambientais constantes – poluição atmosférica, trabalho em ambientes frios ou trabalho com inalantes irritantes.

Os sintomas mais comuns são o nariz entupido prolongadamente, secreção nasal abundante amarelada ou esverdeada. Pode dar febre, dores na face, dores de cabeça, mal-estar no corpo etc.

A sinusite aguda é uma doença que pode gerar uma série de complicações, tais como: sinusite crônica, abcesso periorbitário (inchaço significativo do olho, que ocorre quando a sinusite rompe a parede do olho e penetra dentro dele, levando a risco de perder a visão), abscesso cerebral e meningite.

Leia Também:  Luiz Claudio

Por que uma gripe vira sinusite? São as condições do organismo no período de infecção que favorecem ou não o aparecimento de complicações. O risco de a gripe virar sinusite diminui significativamente se o paciente se hidratar e se alimentar adequadamente, dar ao corpo o repouso necessário e cessar estímulos negativos como cigarro, ar condicionado, mudanças de temperatura e estresse.

Quando o assunto é a rinite, a causa mais comum é a alergia, principalmente ao ácaro. Os sintomas principais são: coçar o nariz, espirrar, obstrução nasal e coriza. É importante evitar o uso de tapete, carpete e cortinas, pois acumulam pó, que contém ácaros. Substituir o cobertor de lã pelo edredom. Evitar roupas de lã e dar preferência pelo algodão. Substituir a vassoura pelo aspirador de pó.

A rinite não é contagiosa, diferente da sinusite que pode passar de pessoa para pessoa.

Um erro muito comum dos pacientes é pingar gotas descongestionantes para desentupir o nariz, como neosoro e naridrin, sem orientação médica. Essas medicações possuem substâncias como a nafazolina, oximetazolina e fenoxazolina. Essas substâncias são vasoconstritores (fecham os vasos sanguíneos dos cornetos nasais) e realmente desentopem o nariz muito rápido, porém, causam dependência, e também causam a rinite medicamentosa. Com o passar do tempo, o nariz vai ficando mais inflamado e mais entupido do que antes. Pode também, causar aumento da frequência cardíaca, pressão arterial e causar arritmias.

Leia Também:  Waldir Marques

Se você tem nariz entupido, o certo é procurar orientação de um médico otorrino para fazer o diagnóstico e tratamento correto. Cuide bem do seu nariz!!

Essas são as dicas do Dr. Fabiano Santana Moura. Otorrinolaringologista. Atende no Centro Clínico e Diagnóstico São Pio X. Fone: 3307 1505 Whatsapp 9962 6052.

.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA