Fabricante inglesa revela roadster elétrico com design retrô

Publicados


source
RBW Roadster
Divulgação

Apenas 30 unidades do RBW Roadster serão produzidas

A fabricante britânica RBW EV revelou as primeiras imagens e detalhes de um novo roadster com design retrô e motorização 100% elétrica . O modelo é inspirado no MGB Roadster, lançado pela montadora inglesa MG Cars nos anos 60.

Segundo a fabricante de veículos elétricos, o motor do RBW EV Roadster levou três anos para ficar pronto. Alguns componentes foram desenvolvidos por marcas que também fornecem sua engenharia para equipes da Fórmula E.

“O motor elétrico foi instalado na traseira do veículo, enquanto a bateria fica abaixo do assoalho. Além de maximizar o uso da bateria, este recurso permite uma condução muito mais aguçada e esportiva para o Roadster”, diz Peter Swain, diretor do projeto. Apenas 30 unidades do Roadster serão feitas

“O que é muito mais empolgante sobre o sistema da RBW é que ele pode ser instalado em outros veículos, como Jaguar E-Type e as antigas gerações dos carros da Mini”, afirma o diretor. “Os modelos podem ser encomendados com especificações pessoais dos clientes. As possibilidades são infinitas”.

Leia Também:  Renault Kiger é o SUV do Kwid com motor 1.0 turbo

Segundo a RBW, o Roadster leva 9 segundos para atingir 100 km-h, com velocidade máxima na faixa de 130 km/h. Com a bateria totalmente carregada, o modelo pode percorrer 260 km. A autonomia total pode ser expandida para 321 km com a instalação de uma bateria opcional.  A fabricante afirma que o Roadster leva 8 horas para recarregar em tomada comum.

O Roadster chegará ao mercado na Inglaterra com 14 opções de pintura e seis estilos exclusivos para as rodas. A capota poderá ser acrílica ou de lona, para dar um visual ainda mais retrô. 

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

Royal Enfield Himalayan 2021 estreia com algumas melhorias

Publicados

em


source
Royal Enfield Himalayan 2021
Nelson Pituco

Royal Enfield Himalayan 2021: versátil também no uso urbano, segundo as impressões que tivemos no dia a dia


O que a Royal Enfield Himalayan 2021 tem de diferente da versão anterior, que foi lançada aqui há quase dois anos, pode ser listado em poucas linhas. Só que, conforme conta o fabricante, eram mesmo poucos itens que poderiam ser melhorados, a maioria deles sugeridos pelos próprios usuários do modelo.


Isso corrobora o fato de que aqueles que buscaram uma motocicleta robusta e acessível, sem as modernidades visuais e com um look de bigtrail dos anos 80, estão satisfeitos com a escolha pela  Royal Enfield Himalayan .

Mecanicamente, a Himalayan 2021 permanece a mesma, com sua versatilidade em estradas de asfalto e fora dela já demonstrada na ocasião de seu lançamento (veja aqui) , e agora foi a vez de passar uma semana com a nova versão apenas em uso urbano, o que, mais uma vez comprovou a sua versatilidade.

Royal Enfield Himalayan
Divulgação

As três novas cores da Royal Enfield Himalayan


Sem ser muito grande nem muito pequena, nem muito pesada, a Himalayan é uma boa pedida para o dia a dia, com grandes possibilidades também para o lazer nos fins de semana, no asfalto ou na terra. Principalmente na terra.

Leia Também:  Honda revela versão hatch City que deverá vir ao Brasil

As novas cores são o que mais se destacam na Himalayan 2021. O branco e o preto, que dão um aspecto neutro para a motocicleta, continuam, mas as cores vermelha e azul proporcionam um visual mais alegre e jovial ao modelo. Alguns consideram, no entanto, que a Himalayan cinza, também uma nova cor, é a mais bonita.

O que a Himalayan 2021 traz de novidades, além das cores, é a possibilidade de desligamento do sistema antibloqueio ABS na roda traseira, por um botão no painel (com esse controle eletrônico desligado é mais fácil controlar a moto em uma trilha), um descanso lateral mais inclinado, permitindo estacionar a motocicleta de forma mais segura em pisos não planos.

Painel legalzinho com relógios analógicos e uma bússola
Divulgação

Painel legalzinho com relógios analógicos e uma bússola


Outra novidade é e a introdução do pisca-alerta. Só que esse item de segurança só pode ser acionado com a ignição ligada, o que inviabiliza deixar a motocicleta com a luz de emergência ligada enquanto se busca ajuda, no caso de pane.

A Royal Enfield Himalayan tem alguns pequenos detalhes bem interessantes, como o cavalete central (que toda trail deveria ter também) e a bússola no painel, que, por sinal, é bonito e bem recheado de funções. Pena que embaçou depois de uma chuva forte.

Leia Também:  Ônibus 4x4, Torsus Praetorian ganha versão de transporte escolar

O acréscimo de preço da nova Royal Enfield Himalayan em relação à versão anterior é de apenas R$ 400 (a 2020 custa R$ 18.990, o mesmo valor desde o lançamento, dois anos atrás). Já a linha 2021 do modelo custa R$ 19.390.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA