Operação Rubrum

Goiás: PF e forças policiais realizam operação contra facção criminosa

A Operação Rubrum reuniu 130 policiais para cumprir 17 mandados de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de Goiânia, Santa Terezinha de Goiás, Guapó, Trindade e no Rio de Janeiro (RJ). Os crimes investigados são tráfico de drogas, associação para tráfico e homicídio. A iniciativa é baseada no modelo cooperativo e envolve efetivo das polícias Federal e Rodoviária Federal (PRF), Civil, Militar e Penal.

Publicados

Goiás: PF e forças policiais realizam operação contra facção criminosa.

A Polícia Federal (PF) juntamente com as forças de segurança do Estado, realizaram, nesta quinta-feira (14), a Operação Rubrum para combater organização criminosa que atuava em Goiás e no Rio de Janeiro.

O governador Ronaldo Caiado destacou a importância da união no trabalho policial durante entrevista coletiva na Superintendência Regional da PF, em Goiânia: “Integração não pode ser apenas no papel. Tem que ser de verdade. E o que estamos vendo hoje é integração real de informações e ações para combater a bandidagem e dar tranquilidade à população”.

Caiado reforçou que as forças de segurança do estado estão à disposição para novas ações integradas. “A Secretaria de Segurança Pública de Goiás tem a minha determinação para que todas as informações sejam compartilhadas e as forças policiais goianas estejam à inteira disposição para alcançarmos resultados eficientes como este de hoje”, reiterou.

A Operação Rubrum reuniu 130 policiais para cumprir 17 mandados de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de Goiânia, Santa Terezinha de Goiás, Guapó, Trindade e no Rio de Janeiro (RJ). Os crimes investigados são tráfico de drogas, associação para tráfico e homicídio. A iniciativa é baseada no modelo cooperativo e envolve efetivo das polícias Federal e Rodoviária Federal (PRF), Civil, Militar e Penal.

Leia Também:  Portaria da Semad autoriza visitas a parques estaduais

Em menos de três meses de investigações conduzidas pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco-GO) e pela Polícia Civil de Goiás, a Operação Rubrum identificou atividades criminosas ligadas a facção na região Noroeste de Goiânia e em Trindade. “São 46 mandados judiciais que estão sendo cumpridos na data de hoje, culminando na retirada de drogas e armas de circulação e identificação das principais lideranças faccionadas atuando dentro do estado de Goiás”, afirmou a superintendente regional da PF em Goiás, Marcela Rodrigues.

“É algo concreto que apresentamos à sociedade, junto com o grande trabalho e a integração que têm feito a diferença na segurança pública de Goiás”, afirmou o titular da Secretaria de Segurança Pública, Renato Brum. Os mandados judiciais, expedidos pela 2º Vara Criminal da Comarca de Trindade, autorizaram apreensões de materiais e objetos que possam contribuir para confirmação dos crimes, bem como identificar indivíduos envolvidos com os fatos investigados.

A Operação Rubrum é um desdobramento da Operação Insídia, deflagrada no último mês de outubro após um duplo homicídio na Capital. “A partir dessa operação, a gente conseguiu prender quatro suspeitos deste crime e também identificar mais três envolvidos. O mandante, seria o líder de uma facção que estaria foragido no estado do Rio de Janeiro”, detalhou o delegado Marcos Vinicius Cardoso do Nascimento, da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH).

Leia Também:  Corpo de Bombeiros realiza busca por pessoa desaparecida no Lago Corumbá IV; Assista

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CONCURSO

Abertas as inscrições para o concurso da Polícia Penal de Goiás

Certame oferece 1,6 mil vagas, com salário inicial de R$ 5,9 mil; seleção exige diploma de nível superior.

Publicados

em

DGPP vai receber 1,6 mil novos policiais penais: inscrições para o concurso seguem abertas até 14 de agosto. Foto: DGPP

Estão abertas, a partir desta terça-feira (16), as inscrições para o concurso público que vai preencher 1,6 mil vagas para o cargo de policial penal em Goiás. O cadastro deve ser feito pelo site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), com taxa de R$ 150. Para concorrer ao cargo, o candidato deve ter diploma de nível superior, em qualquer área, registrado em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).  O salário inicial para o cargo é de R$ 5.971,42, para uma carga horária de 40 horas semanais.

O certame será conduzido pelo IBFC, sob coordenação da Secretaria de Estado da Administração (Sead), e os aprovados serão lotados na Diretoria-Geral de Polícia Penal (DGPP), órgão ligado à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP). O exercício do cargo exige a realização de viagens e a prestação de serviços fora do expediente e do local de trabalho.

A seleção será dividida em sete fases: prova objetiva, prova discursiva, avaliação médica, avaliação de aptidão física, avaliação psicológica, avaliação de vida pregressa e investigação social e avaliação de títulos. Candidatos com deficiência também passarão por avaliação de equipe multiprofissional. A data provável da aplicação das provas objetiva e discursiva é 15 de setembro, nas cidades de Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Formosa, Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Luziânia, Rio Verde e São Luís de Montes Belos.

Leia Também:  Goiás Social: cresce em 261% o número de kits de enxoval doados a gestantes

O período de inscrições vai até o dia 14 de agosto de 2024. O edital completo está disponível no portal do IBCF (www.ibfc.org.br) e no site da Sead – em Acesso Rápido / Concursos e Seleções.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA