Política

Sem provas Bolsonaro volta a fazer afirmações de fraudes durante visita a Goiás

O presidente ainda voltou a defender tratamento sem eficácia comprovada contra Covid-19, questionou vacinas e registros do número de mortes na pandemia

Publicados

Em visita a Anápolis nesta quarta-feira (9), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), defendeu o tratamento precoce contra a Covid-19, levantou dúvidas sobre a eficácia da vacina contra a doença e voltou a citar fraude na eleição de 2018 e no registro de mortes e infectados pelo coronavírus no Brasil. O presidente também provocou aglomerações ao cumprimentar dezenas de apoiadores que o esperavam na entrada e saída de compromissos na cidade.

Bolsonaro participou de culto na igreja Church In Connection. Em discurso, Bolsonaro disse que é possível “buscar uma maneira de diminuir drasticamente o número de mortes no Brasil pelo tratamento precoce”. Ele relatou visita recente a duas tribos indígenas quando, segundo ele, foi informado de que as comunidades foram acometidas pelo coronavírus, mas não houve mortes. De acordo com o presidente, os indígenas disseram que tomaram “chá de casca de árvore”.

O relato foi feito na defesa do uso de medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina contra a Covid-19, estratégia que não tem comprovação cientifica. “Não veio da minha cabeça o que eu falo sobre essa doença, veio de conversas com pessoas que realmente se preocupam e pesquisam sobre o assunto”, afirmou. O presidente não disse quem são as pessoas às quais se referiu.

No Senado, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid investiga a existência de gabinete paralelo ao Ministério da Saúde, que supostamente orienta o presidente em relação ao enfrentamento à pandemia.

Ao sair em defesa do tratamento precoce, Bolsonaro questionou a eficácia da vacina contra a Covid-19, afirmando que as doses estão em fase experimental, o que não é verdade. Os imunizantes aplicados atualmente no Brasil receberam aval, após testes, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A CPI também foi alvo de ataques do presidente durante o discurso. “Quem mata gente? Quem manda o dinheiro, que sou eu, ou quem desvia o dinheiro na ponta da linha?”, questionou, com referência a prefeitos e governadores. A CPI da Covid foi instalada no Senado com a previsão de que os chefes dos Executivos estaduais também sejam investigados.

Isso ocorreu após intensa articulação do Palácio do Planalto. “Que CPI é essa? De Renan Calheiros (MDB-AL)? De Omar Aziz (PSD-AM)? Daquela pessoa alegre do Amapá?” O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da comissão, é o único parlamentar do Estado na CPI.

Leia Também:  Em Goiás, Executivo, Legislativo, Judiciário e órgãos autônomos assinam plano de combate a corrupção

Ainda no discurso, Bolsonaro disse que foi eleito em primeiro turno e afirmou que tem “provas materiais disso”. “Mas o sistema, a fraude, que existiu, sim, me jogou para o segundo turno. Outras coisas aconteceram e eu só acabei ganhando porque tive muito voto.” O presidente também citou a participação “de algumas pessoas” que entendiam como inibir a suposta fraude. Como ocorreu em outras oportunidades de denúncias de Bolsonaro contra a eleição de 2018, o presidente não apresentou provas. Bolsonaro também voltou a afirmar que há supernotificação de casos da Covid-19 no Brasil.

A visita do presidente a Goiás começou por volta das 12h, quando Bolsonaro chegou à fazenda do cantor Amado Batista, em Goianápolis, onde ele almoçou. Em seguida, a comitiva foi para o Aeroporto de Anápolis, local em que houve rápido encontro com empresários e entidades que representam a segurança pública. Antes do culto na Church In Connection, ocorreu outro encontro com empresários e lideranças políticas do Estado, mas sem representantes do Palácio das Esmeraldas.

Entre as autoridades que acompanharam o presidente estavam o deputado federal Vitor Hugo (PSL), os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e da Educação, Milton Ribeiro e o filho e vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos).

Sem máscara, Bolsonaro tirou fotos, pegou uma criança no colo e falou com apoiadores. A aglomeração ocorreu tanto em frente ao aeroporto quanto na porta da igreja. Parte do público que o esperava usava máscara. Antes de deixar a cidade, Bolsonaro cumprimentou policiais militares que se organizaram em fila e desfilou por parte da Avenida Brasil com metade do corpo para fora do carro.

“Todas as cartas estão na mesa’, diz Vitor Hugo sobre eleição em 2022

Deputado federal por Goiás e um dos principais aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Câmara, Vitor Hugo (PSL) afirma que fica “feliz e orgulhoso” e se sente lisonjeado por ter seu nome em discussões relacionadas à disputa pelo governo de Goiás e por cadeira no Senado, mas alega que ainda é prematuro falar sobre a candidatura de 2022. Ao POPULAR, o parlamentar diz que sua linha de ação principal é a busca pela reeleição, “mas todas as cartas estão na mesa”.

Leia Também:  Usina Uruaçu encerra safra de maior produtividade da sua história

Visita de Bolsonaro a Anápolis

Durante encontro com o presidente no aeroporto da cidade, empresários aproveitaram para fundar a Federação das Associações Empreendedoras, Comerciais, Industriais, Serviços, Tecnologia, Turismo e Terceiro Setor do Estado de Goiás (Faciest-GO), que terá como presidente Rubens Fileti, que atualmente comanda a Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg). Também houve breve reunião com representantes de associações que representam militares estaduais.

Em reunião em uma sala privada da igreja que recebeu o presidente no compromisso seguinte, o deputado diz ter apresentado ao chefe do Executivo 60 vereadores e 20 prefeitos e secretários de suas bases. No local, também houve breve encontro com empresários, que apresentaram demandas relacionadas à reforma tributária. De acordo com o deputado, Bolsonaro solicitou que seja organizada visita do grupo a Brasília, quando o tema será discutido com a equipe econômica. O encontro deve ocorrer no fim de junho.

A articulação de Vitor Hugo para visita do presidente a Anápolis foi avaliada como consolidação do nome do deputado federal para disputa pelo Palácio das Esmeraldas em 2022, diante da presença de lideranças políticas que apoiam o parlamentar no interior do Estado.

Questionado sobre falta do governador Ronaldo Caiado (DEM) nos compromissos do presidente em Goiás ontem, Vitor Hugo disse que não tem problemas de relacionamento com Caiado, mas não soube informar por qual motivo o democrata não compareceu aos eventos.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESTADO

Governo de Goiás atinge marco inédito ao regulamentar todos os órgãos do Executivo estadual

Por meio de modelo padrão e metodologia de apoio, Sead contribui para organização de regulamentos das secretarias e, em consequência, da estrutura administrativa do Estado

Publicados

em

O Governo de Goiás atingiu um marco inédito para a governança pública goiana: a regulamentação total do Estado. Os últimos dois decretos regulamentadores publicados foram o da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) e o da Secretaria da Retomada, concluindo o trabalho desenvolvido desde o início da atual gestão. A Secretaria da Administração (Sead) contribuiu para a construção dos documentos para os 34 órgãos do Poder Executivo estadual, por meio da orientação das equipes setoriais.

Secretário da Administração, Bruno D’Abadia vê na entrega mais um indicativo da responsabilidade da pasta com as transformações estruturais da atual gestão do Estado, tendo como bússola o desenvolvimento de Goiás. “Quando temos os papéis bem definidos e os processos organizados, marchamos dentro das margens da eficiência, resultando em políticas públicas que fazem, de fato, diferença na vida das pessoas, em especial das que mais precisam”.

Para a realização da regulamentação de todos os órgãos, a Sead construiu o Modelo Padrão de Regulamento, com metodologia de apoio para que as equipes definissem as competências e atribuições das unidades básicas e complementares da estrutura organizacional do Estado – definidas com base na lei da Reforma Administrativa. Essa construção dos documentos setoriais foi feita como em um processo de autoconhecimento, de acordo com a superintendente da Central de Transformação da Gestão Pública, Vânia Marçal Bareicha.

Leia Também:  Em Goiás, Executivo, Legislativo, Judiciário e órgãos autônomos assinam plano de combate a corrupção

“A construção dos regulamentos no Estado de Goiás trouxe muito aprendizado, pois ineditamente promoveu uma reflexão institucional sobre o negócio e a função de cada ente na máquina pública estadual”, afirma a superintendente. Além disso, a regulamentação assegura clareza de papéis e responsabilidades de cada órgão. Assim, facilita que a sociedade tenha maior noção das respectivas atuações setoriais, o que garante celeridade na oferta do serviço público.

“A instituição pública que não conhece as suas atribuições, as suas competências e os seus processos de negócio, geralmente, tem dificuldades de criar um ambiente organizacional capaz de coordenar e orientar a sua atuação para entregar valor ao cidadão”, enfatiza Vânia Marçal Bareicha. Segundo ela, a atuação da Sead é pautada por soluções, por ampliar e facilitar o acesso do público aos serviços públicos. “Isso mostra que estamos no caminho certo”.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA