Economia

Governo de Goiás apresenta mapeamento de empresas inovadoras e programa para digitalizar pequenos negócios

Trabalho é conduzido pelo Hub Goiás, primeiro Centro público de Excelência em Empreendedorismo Inovador da Região Centro-Oeste.

Publicados

Governo de Goiás lança programa que vai conectar startups mapeadas a micro, pequenas e médias empresas goianas. Foto: André Bianchi

O Governo de Goiás apresentou o Mapeamento do Ecossistema Goiano de Inovação. O trabalho, feito pelo Hub Goiás, vai embasar a elaboração de políticas públicas voltadas para o fomento à inovação no estado. Um exemplo é o e-Goiás — Transformação Digital das Empresas, programa lançado na terça-feira (9), e que vai conectar as startups mapeadas a micro, pequenas e médias empresas goianas que queiram inovar seus processos e produtos.

Foram mapeadas: 212 startups e 104 empresas inovadoras, além de uma série de ambientes inovadores e instituições de ensino que podem ser integrados para gerar um ecossistema que leve Goiás à liderança da área. “Queremos transformar Goiás no estado dos negócios inovadores. O governador Ronaldo Caiado entende que o estado tem que estar na frente também na inovação e, por isso, construímos o Hub Goiás, que é um equipamento de primeira linha e contribuirá para este trabalho”, relata o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, José Frederico Lyra Netto.

O mapeamento completo pode ser visto no link https://abre.go.gov.br/mapeamentohubgoias. Para o superintendente do Hub Goiás, Johnny Laranjeira, este trabalho permite entender onde estão as empresas de base tecnológica do estado para atraí-las a fim de dar suporte na construção de uma mudança de cultura visando as empresas de base tradicional.

Leia Também:  Uruaçu: Veja que eram as pessoas que morreram após choques em Carnaval

“As empresas de base tecnológica entram, justamente, dando suporte para que as empresas de base tradicional melhorem seus processos, inserindo novas tecnologias e aplicando novas metodologias que se adequem aos seus negócios e os melhorem. Ou seja, ajudam as empresas a olhar para frente”.

Nesta primeira etapa, de maneira piloto, o e-Goiás — Transformação Digital das Empresas vai selecionar dez micro, pequenas e médias empresas goianas para participar do processo de capacitação e conexão com startups e empresas inovadoras, além de instituições de ensino e universidades, também mapeadas pelo Hub Goiás, e que podem entrar como solucionadoras dos desafios de transformação digital dessas empresas. As inscrições estão abertas até o dia 19 de agosto pelo site hubgoias.org.

O Hub Goiás é o primeiro Centro de Excelência em Empreendedorismo Inovador público da Região Centro-Oeste do país. O equipamento público, ligado à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) do Governo de Goiás, entrou em funcionamento em 2023 com investimentos de R$ 24 milhões e tem o objetivo de impulsionar o empreendedorismo e a inovação em Goiás, por meio de diversas iniciativas, como mentorias, cursos, eventos e, principalmente, editais de fomento.

Leia Também:  Rodrigo Pacheco é reeleito presidente do Senado

Em apenas um ano de funcionamento, o Hub Goiás já lançou quatro editais de fomento, que resultaram no apoio a mais de 90 novos negócios inovadores no estado. Há outros dois editais em andamento. Além disso, passaram pela sede do Hub Goiás mais de 11 mil pessoas nos mais de 240 eventos realizados no local, contando também com 2.290 pessoas que usaram o coworking gratuito para trabalhar e estudar.

O Hub Goiás é gerido pela organização da sociedade civil Porto Digital, responsável pelo maior parque tecnológico urbano da América Latina.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Atividade econômica no RS recua 9% em maio, estima Banco Central

Publicados

em

Os primeiros efeitos das enchentes sobre a economia do Rio Grande do Sul começaram a ser medidos. Em maio, a atividade econômica no estado caiu 9% em relação a abril, divulgou nesta quarta-feira (17) o Banco Central (BC), que publicou o Índice de Atividade Econômica Regional (IBCR). Em relação a maio de 2023, o indicador recuou 3,9%.

Essa foi a maior queda para o estado desde que o indicador começou a ser divulgado, em 2002. O desempenho do Rio Grande do Sul fez a atividade econômica da Região Sul recuar 3,3% na comparação com abril. Em relação ao mesmo mês do ano passado, a atividade ainda registra crescimento de 0,7%, nos dados sem ajuste.

Na comparação entre regiões, o Centro-Oeste, motivado pela safra, cresceu 2,2% em maio na comparação com abril, seguido pelo Sudeste, com expansão de 0,4%. A atividade econômica, no entanto, encolheu no Norte (-0,3%) e no Nordeste (-1%). Em relação a maio do ano passado, o indicador cresceu em todas as regiões, puxado pelo Centro-Oeste (3,6%), pelo Nordeste (3,1%) e pelo Sudeste (2,7%).

Leia Também:  Dólar sobe para R$ 4,89 com incertezas domésticas e externas

Divulgado com dois meses de defasagem, o IBCR foi um dos primeiros indicadores a medir o impacto econômico do desastre climático no Rio Grande do Sul. O indicador funciona como uma versão regional do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), que funciona como uma estimativa do Produto Interno Bruto (PIB).

No mês passado, a Receita Federal divulgou que a arrecadação de tributos federais no estado caiu R$ 4,4 bilhões em maio na comparação com maio de 2023, em números corrigidos pela inflação. A perda de arrecadação, no entanto, está inflada porque a Receita adiou o pagamento de diversos tributos federais no estado por dois ou três meses, dependendo do imposto ou contribuição.

Em relação aos cenários estaduais, o Banco Central divulga o desempenho somente para 13 estados: Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. Em relação a abril, os maiores crescimentos foram registrados no Pará (+2,8%), no Ceará (+2%) e no Espírito Santo (+1,8%). Além do Rio Grande do Sul, os principais recuos ocorreram em Santa Catarina (-1,1%) e em Minas Gerais (-0,5%).

Leia Também:  União Brasil passa a ter maior bancada da Alego ao lado do MDB após decisão do TRE-GO

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA