Segurança Pública

Índices de criminalidade recuam em até 89,8% em Goiás

Balanço da Segurança Pública consolida queda histórica de crimes violentos e não violentos. O número de homicídios dolosos caiu pela metade em 2023

Publicados

Goiás registra redução histórica nos índices de criminalidade: “Aqui não tem só teoria. É competência com operacionalidade”, afirma Caiado. Foto: Romullo Carvalho

Goiás registrou queda de 50,8% no número de homicídios dolosos em 2023, na comparação com 2018. Esse é um dos vários indicadores criminais que seguem uma série histórica de redução consecutiva, desde 2019. Os dados foram apresentados pelo governador Ronaldo Caiado durante encontro com a cúpula da Segurança Pública do Estado, realizado no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. “Aqui não tem só teoria. É teórico com prática. É competência com operacionalidade”, disse o governador sobre a dinâmica de trabalho que resultou nos índices positivos.

Uma das reduções mais expressivas diz respeito ao roubo de veículos (-89,8%): foram 1.029 no ano passado, ante 10.103 casos em 2018. Já crimes como furto e roubo a transeunte tiveram queda de 85,8% e 83%, respectivamente. Latrocínio, que é o roubo seguido de morte, caiu 86,7% – foram 14 casos em 2023 e 105 no ano de 2018. “Sou extremamente orgulhoso de liderar um Estado com esta equipe de segurança. E nosso trabalho seguirá visando sempre o avanço, a proteção total dos goianos”, afirmou o governador.

Caiado demonstrou preocupação com a forma como a criminalidade tem se “apoderado” de alguns estados brasileiros e países vizinhos. “O Equador está em estado de guerra”, mencionou sobre o conflito interno que envolve facções. “O prefeito do Rio de Janeiro [Eduardo Paes] disse que não pode iniciar as obras em um parque porque as facções exigem um pagamento de R$ 500 mil”, continuou ao citar, ainda, o avanço de narcotraficantes na Amazônia. “Outros governadores não governam seu território, só parte. Em Goiás, o governador governa os 350 mil quilômetros quadrados e os 246 municípios. Governamos o estado na totalidade”.

Leia Também:  DERCC prende preventivamente investigado por crimes cibernéticos

O balanço apresentado nesta manhã utiliza dados do Observatório de Segurança Pública do Estado de Goiás e é proveniente do Sistema RAI (Registro de Atendimento Integrado). O secretário de Segurança Pública, Renato Brum, explicou que a queda dos índices é resultado de uma ação conjunta consolidada há cinco anos. “Trabalhamos na redução da redução, da redução… Estamos reduzindo de forma contínua os comparativos em relação a 2018”, definiu. “A segurança pública é algo artesanal, precisa ser feita todos os dias. Se a gente der uma descuidada, aumenta o crime”, completou.

Crimes de lesão seguida de morte tiveram queda de 55,7% no período avaliado – 61 em 2018 e 27 no ano passado. Outros indicadores de destaque são o homicídio tentado (-20,6%), estupros (-10,5%), roubo em comércio (-81,8%), roubo de carga (-90,6%), roubo em residência (-75,9%) e furto de veículos (-60,1%). “A gente não fala em sensação de segurança pública, mas de segurança pública de forma efetiva, e aqui está a prova”, comentou Brum durante a divulgação dos dados.

Para reforçar o combate aos crimes de violência contra a mulher, o Governo de Goiás ampliou os canais de denúncia, bem como o apoio às vítimas. O objetivo é estimular o registro de ocorrências e fortalecer a rede de proteção. “É algo que acontece dentro de quatro paredes, por isso o Estado quer encorajar essas mulheres e mostrar que estamos aqui para garantir sua proteção física e social”, pontuou Caiado. Como explicou o governador, hoje mulheres vítimas de violência doméstica podem ser atendidas pelo programa Goiás por Elas, que garante renda mensal para as que estão em vulnerabilidade econômica e dá acesso facilitado a todos os outros programas assistenciais do Governo.

Leia Também:  Filmagem obrigatória em ações policiais em Goiás é cobrada pela Defensoria Pública de Goiás

Durante o evento, foram apresentados números que comprovam a queda dos principais indicadores criminais de 2023, na comparação com 2022. Confira:

* Homicídios dolosos: -12,1% (caiu de 1.185 para 1.042)

* Homicídio tentado: – 7,3%% (caiu de 1.829 para 1.696)

* Estupro: -12% (caiu de 800 para 704)

* Latrocínio: -57,6% (caiu de 33 para 14)

* Roubo a transeunte: -32,7% (caiu de 11.682 para 7.861)

* Roubo de veículos: -30,1% (caiu de 1.473 para 1.029)

* Roubo em comércio: -27% (caiu de 880 para 642)

* Roubo a residências: -34,9% (caiu de 869 para 566)

* Roubo de cargas: -52,3% (caiu de 86 para 41)

* Roubo a instituição financeira: nenhum caso desde 2019

* Furto a transeunte: -33% (caiu de 10.930 para 7.328)

* Furto a veículo: -19,1% (caiu de 5.559 para 4.498)

* Furto em comércio: -15,3% (caiu de 12.646 para 10.707)

* Furto em residência: -20,5% (caiu de 21.193 para 16.849)

* Roubo em propriedade rural: -28% (caiu de 110 para 79)

* Furto em propriedade rural: -14% (caiu de 3.706 para 3.202)

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CONCURSO

Abertas as inscrições para o concurso da Polícia Penal de Goiás

Certame oferece 1,6 mil vagas, com salário inicial de R$ 5,9 mil; seleção exige diploma de nível superior.

Publicados

em

DGPP vai receber 1,6 mil novos policiais penais: inscrições para o concurso seguem abertas até 14 de agosto. Foto: DGPP

Estão abertas, a partir desta terça-feira (16), as inscrições para o concurso público que vai preencher 1,6 mil vagas para o cargo de policial penal em Goiás. O cadastro deve ser feito pelo site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), com taxa de R$ 150. Para concorrer ao cargo, o candidato deve ter diploma de nível superior, em qualquer área, registrado em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).  O salário inicial para o cargo é de R$ 5.971,42, para uma carga horária de 40 horas semanais.

O certame será conduzido pelo IBFC, sob coordenação da Secretaria de Estado da Administração (Sead), e os aprovados serão lotados na Diretoria-Geral de Polícia Penal (DGPP), órgão ligado à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP). O exercício do cargo exige a realização de viagens e a prestação de serviços fora do expediente e do local de trabalho.

A seleção será dividida em sete fases: prova objetiva, prova discursiva, avaliação médica, avaliação de aptidão física, avaliação psicológica, avaliação de vida pregressa e investigação social e avaliação de títulos. Candidatos com deficiência também passarão por avaliação de equipe multiprofissional. A data provável da aplicação das provas objetiva e discursiva é 15 de setembro, nas cidades de Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Formosa, Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Luziânia, Rio Verde e São Luís de Montes Belos.

Leia Também:  Bebê encontrado dentro de lixeira recebe alta de hospital

O período de inscrições vai até o dia 14 de agosto de 2024. O edital completo está disponível no portal do IBCF (www.ibfc.org.br) e no site da Sead – em Acesso Rápido / Concursos e Seleções.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA