Clima

Ciclone extratropical pode trazer tempestades para Goiás

Com isso teremos pancadas de chuvas isoladas em diversas regiões.

Publicados

O ciclone extratropical. Foto: Jucimar de Sousa

O ciclone extratropical que se formou no sul do País, pode afetar Goiás, com tempestades em algumas regiões do Estado. No entanto, o calor permanece forte. A frente fria associada ao fenômeno se chocará com a massa de ar quente que chega à área e facilitará a formação de nuvens carregadas no Sul do Brasil.
Já a previsão do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo) aponta que o avanço de uma frente fria pela região sudeste do Brasil vai propiciar em território goiano o aumento de nebulosidade. Com isso teremos pancadas de chuvas isoladas em diversas regiões.

“Há uma frente fria, que está se deslocando para o centro de São Paulo, e vai espalhar nebulosidade. E há o ciclone, que está na costa brasileira, que irá fortalecer a frente fria. Isso não quer dizer que irá baixar a temperatura em Goiás. As chuvas podem dar uma trégua no calor, mas as temperaturas mais altas permanecem no estado”, explica o gerente do Cimehgo, André.

Leia Também:  Em Goianésia, avó e criança de 2 anos são atropeladas em faixa de pedestre

A quinta-feira (26), neste sentido, será marcada por calor e chuvas isoladas em diversas regiões do Estado. Em Goiânia, a mesma variação de nebulosidade aponta para a possibilidade de precipitações. Apesar disso, a temperatura não cai, mantendo a máxima de 35ºC. Na sexta-feira (27), a máxima é de 34ºC, enquanto no sábado (28) pode chegar a 28ºC.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Em Goiás, professora que foi demitida após ter fotos nuas vazadas por alunos diz que foi recontratada

A professora Bruna Flor de Macedo Barcelos ficou mais de 5 meses desempregada. De acordo com ela, o contrato anterior à demissão passará a valer novamente.

Publicados

em

Em Goiás, professora que foi demitida após ter fotos nuas vazadas por alunos diz que foi recontratada. Foto: Arquivo Pessoal/Bruna Flor

A professora de história Bruna Flor de Macedo Barcelos, que havia denunciado sua demissão após ter sido vazadas fotos nuas suas por estudantes, disse que foi recontratada para trabalhar na rede estadual em Goiânia. Bruna ficou mais de 5 meses desempregada.

“Sinto-me feliz. A dignidade da pessoa humana precisa ser assegurada”, comemorou.

De acordo com a professora, o contrato anterior à demissão passará a valer novamente. Ela foi demitida em novembro de 2023.

Através de nota enviada em março, a Seduc alegou que Bruna tinha sido contratada em regime emergencial para suprir uma demanda da unidade escolar e que o desligamento dela ocorreu devido à convocação de novos professores aprovados no concurso público realizado em 2022, que assumiram, de forma efetiva, em 2023, vagas dos contratos especiais na rede pública estadual de ensino.

Um documento elaborado pela Escola Estadual Doutor Gerson de Faria sobre o desligamento citou o vazamento das fotos. Em resposta a um ofício em defesa da professora, a instituição afirmou que o regimento escolar estipula que os professores não podem emprestar seus celulares de uso pessoal aos alunos. A escola também destacou que as decisões foram tomadas em conformidade com o Estatuto da Criança e do Adolescente, que preconiza a proteção integral das crianças e seus direitos. A instituição também alegou que orientou a professora a procurar a polícia.

Leia Também:  Goianésia: Em menos de 24h município registra três óbitos suspeitos de Covid-19

Nota resposta da Secretaria de Estado da Educação de Goiás

Em atenção à solicitação de informações sobre o desligamento da professora Bruna Flor de Macedo Barcelos, a Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc/GO) responde:

– A professora em questão havia sido contratada em regime emergencial para suprir uma demanda da unidade escolar. O desligamento da profissional se deu devido à convocação em 2023 de novos professores aprovados no concurso público realizado em 2022, que assumiram, de forma efetiva, vagas dos contratos especiais na rede pública estadual de ensino;

– Sobre os fatos que envolvem a conduta da professora, a Seduc Goiás esclarece que segue a legislação de proteção à criança e adolescente, por meio do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), sempre trabalhando com zelo e prezando pela harmonia e respeito entre os servidores e estudantes.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA