Política

Ex-vereador de Itapaci é condenado a ressarcir cofres públicos em ação movida pelo MP-GO

O ex vereador terá que pagar o valor de R$ 57.813,94 ao município de Itapaci e também perdeu as funções públicas e seus direitos políticos pelo prazo de 5 anos

Publicados

Nesta quarta-feira (09), foi divulgada a sentença da Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa movida pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) contra o ex-vereador da cidade de Itapaci, Ronaldo Ferreira Paixão.

O MP-GO alega que Ronaldo, enquanto Presidente da Câmara de Vereadores de Itapaci, Goiás, no ano de 2013, praticou atos lesivos ao erário, especificamente por autorizar gastos elevados com combustíveis, sem amparo legal e sem justificativa para o ato, permitindo a total falta de controle de tais despesas e do uso do veículo da Câmara Legislativa

Segundo o relator os gastos em combustível foi absolutamente elevado, somando o monta de R$ 28.906,97, considerado que à época havia apenas um veículo a disposição da Câmara de Vereadores, um Fiat Palio Week Elx Flex, de uso exclusivo do Poder Legislativo.

O MP requereu em juízo, a concessão de tutela de urgência para determinar: a) indisponibilidade de bens; b) o afastamento do cargo, c) exibição de documentos; e d) esclarecimentos. Ao final, postulou o reconhecimento de ato de improbidade administrativa praticado elo requerido, previsto no art. 11, caput e inciso II, e sua consequente condenação nas sanções discriminadas no art. 12, inciso III, da Lei nº 8.429/92.

Após análise da conduta, o ex-vereador Ronaldo Ferreira Paixão foi sentenciado a perder as funções públicas e seus direitos políticos pelo prazo de 5 anos; ressarci integralmente os cofre públicos municipais em relação ao dano patrimonial; pagar ao Município de Itapaci, à título de multa civil, o valor correspondente ao dobro, totalizando R$ 57.813,94 (cinquenta e sete mil oitocentos e treze reais e noventa e quatro centavos) com correção monetária pelo INPC e juros de 1% ao mês a partir da citação; Proibição de contratar com o Poder Público e receber incentivos e benefícios fiscais e creditícios, direta e indiretamente pelo período de 5 anos e condenado a pagar as custas processuais.

Leia Também:  Avião retirado das mãos do tráfico vai a leilão, em Goiás

 

Sentença 

“Considerando o grau de consciência da ilicitude, no caso, evidenciada pelo réu como plena, bem como considerando ainda os princípios da razoabilidade e proporcionalidade, e analisando inclusive que a conduta do condenado resultou em perda efetiva de patrimônio público, APLICO-LHE as seguintes penalidades:

  1. a) Perda da função pública e suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de 05 (cinco) anos, considerando os danos causados ao erário, tendo o agente em questão atuado de modo a afrontar dois dispositivos atinentes à Lei improbidade administrada no presente caso;
  2. b) Ressarcimento integral aos cofres públicos municipais em relação ao dano patrimonial verificado nos autos, o qual adotando-se um Juízo de razoabilidade de proporcionalidade, considerando a média de gastos efetuados pela Câmara Municipal local no ano de 2013, com aquisição de combustível para abastecimento do veículo da casa em questão, apurou-se o Valor de R$ 28.906,97 – vinte e oito mil novecentos e seis reais e noventa e sete centavos), sendo que tal valor deverá ser acrescido de correção monetária pelo INPC e juros de 1% ao mês a partir da citação;
  3. c) Pagar ao Município de Itapaci/GO, à título de multa Civil, o valor correspondente ao dobro do dano acima apurado (R$ 28.906,97 – vinte e oito mil novecentos e seis reais e noventa e sete centavos), isto é, multa no valor de R$ 57.813,94 (cinquenta e sete mil oitocentos e treze reais e noventa e quatro centavos) com correção monetária pelo INPC e juros de 1% ao mês a partir da citação;
  4. d) Proibição de contratar com o Poder Público e receber incentivos e benefícios fiscais e creditícios, direta e indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário pelo prazo de 05 anos.
Leia Também:  Maguito afirma que PMDB terá candidato a governador nas próximas eleições

Considerando o valor da condenação imposta ao requerido, o juiz de direito manteve a liminar de indisponibilidade de bens deferida em liminar anteriormente.

Ronaldo foi condeno no pagamento das custas processuais

Certificado o trânsito em julgado, oficie-se ao Tribunal Regional Eleitoral comunicando a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos e proceda-se à anotação no Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa – CNIA do CNJ.

O juiz de direito reconheceu a revelia de Ronaldo na sentença e considerando a natureza da presente ação, bem como seus reflexos perante os direitos individuais do ex-vereador, foi determinado que ele fosse intimado da sentença pessoalmente, através de Oficial de Justiça), oportunizando ao manejo de eventual recurso. O ex-vereador recorreu da sentença para o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

Veja a sentença na integra clicando aqui

Atualizada 09h00 de 10.06.2021

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Vanderlan defende dispositivo na MP da Eletrobrás que viabiliza a expansão das Pequenas Centrais Hidrelétricas

Publicados

em

O senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) usou a tribuna virtual da sessão Plenária do Senado Federal, nesta quinta-feira (17), para defender a aprovação da Medida Provisória 1031/2021 que viabiliza a desestatização da Eletrobrás, maior empresa de geração e transmissão de energia do país. O governo espera arrecadar cerca de R$ 60 bilhões com a medida.

Vanderlan chamou atenção para a importância de aprovar, especificamente, o dispositivo da MP que assegura uma contratação mínima de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) ao longo dos próximos anos de 2.000 megawatts.

“O Brasil precisa de várias fontes de energia, sobretudo energia limpa. As Pequenas Centrais Hidrelétricas são ótimas alternativas. Em Goiás, por exemplo, essas PCHs podem gerar de 12 a 15 mil empregos. Com uma média de R$ 100 milhões por PCH, podemos chegar a R$ 5 bilhões de investimentos. Porém, hoje, elas representam apenas 3% do consumo nacional”.

E continuou. “A aprovação desse dispositivo é muito importante para estimular as Pequenas Centrais Hidrelétricas pelo país. Certamente, representará um impulso que elas precisam para a sua retomada e para o desenvolvimento de toda cadeia produtiva”, explicou.

Leia Também:  Em Goianésia, homem é preso com 26 CNH’s falsificadas após tentar fugir de cerco policial

O senador goiano deu como exemplo, o sucesso da privatização da telefonia brasileira, realizada na década de 90. “Basta vermos os resultados da privatização da telefonia no Brasil, antiga Telebrás. Muitos diziam que iria entregar o sistema para o estrangeiro, mas não foi isso o que aconteceu. Atualmente, é uma infraestrutura moderna e em expansão. Em 2018, segundo a Anatel, já havia cerca de 236 milhões de linhas móveis e 40 milhões de fixas no Brasil. Outro exemplo de sucesso são os investimentos privados que vêm sendo feitos nas ferrovias do país, como é o caso da Norte-Sul. Por isso, sou favorável à aprovação dessa MP”, informou.

 

Principais pontos da MP

Atualmente, a União possui cerca de 60% das ações da Eletrobras e controla a estatal. Com a capitalização, a partir da emissão de ações, deve reduzir a participação na empresa para 45%.

Entre outros pontos, a proposta prevê que o aumento do capital social da empresa será por meio da oferta pública de ações; a participação de cada acionista ou grupo de acionistas não poderá ultrapassar 10% e a União terá ação preferencial de classe especial, a “golden share”, que dará poder de veto nas deliberações sobre o estatuto social da empresa.

Leia Também:  Governo federal zera alíquota de importação de revólveres e pistolas

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA