Vale do São Patrício

Em Goianésia, pitbull invade residências, mata cachorro de pequeno porte e ataca criança de 5 anos

Até a publicação desta matéria não havia sido divulgado quais procedimentos foram tomados com relação ao pitbull.

Publicados

A vítima Lucas Santos de Moura tem 5 anos. Foto: Reprodução.

No início da tarde deste sábado (4), na cidade de Goianésia no Vale do São Patrício, por pouco um cachorro da raça pitbull não causou uma grande tragédia. O canino invadiu ao menos três residências na Rua 28, no bairro Carrilho e atacou outros animais e uma criança de 5 anos.

A Polícia Militar (PM) foi acionada e as vítimas informaram que a dona do cachorro havia esquecido o portão de sua casa aberto, assim, o cão saiu e invadiu as residências. Em uma delas, o pitbull atacou um cachorro, causando-lhe vários ferimentos. Em outra, um canino de pequeno porte morreu ao ser atacado pelo cão raivoso.

Em uma outra residência, o animal feroz atacou uma criança de cinco anos que brincava dentro de sua casa. A criança sofreu ferimentos no rosto, cabeça e pescoço. Ela foi socorrida por terceiros e levada para o Hospital Municipal Irmã Fanny Duran, onde recebeu atendimento médico.

Conforme informações, o pitbull só soltou a criança porque a sua mãe lutou com o cachorro, forçando o cão a soltar o menino.

Leia Também:  Ceres inicia vacinação contra Gripe e Sarampo nesta segunda-feira. Veja quem deve se vacinar

Na ocasião do registro da ocorrência, a dona do animal não foi encontrada, pois havia saído, no entanto, sendo apenas qualificada. O caso vai ser repassado para a Polícia Civil (PC), que deve abrir investigação.

Até a publicação desta matéria não havia sido divulgado quais procedimentos foram tomados com relação ao pitbull.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Advogada de Goianésia morre após ter complicações depois de fazer cirurgia bariátrica

A família disse que a mulher teve infecções, causadas pelo rompimento de uma das suturas do estômago. Ela era coordenadora pedagógica do curso de direito da Faculdade Evangélica.

Publicados

em

Advogada e coordenadora pedagógica Simone Maria da Silva teve complicações após uma cirurgia bariátrica e morreu, em Goianésia. Foto: Redes Sociais

Simone Maria da Silva, advogada e coordenadora pedagógica, teve complicações após uma cirurgia bariátrica e morreu, em Goianésia no Vale do São Patrício. Conforme a família, a mulher teve infecções, causadas pelo rompimento de uma das suturas do estômago.

A Polícia Civil (PC) informou que o caso será investigado e que a família da vítima será intimada para prestar depoimento. A Polícia Científica não informou qual foi a causa da morte.

A sobrinha Lara Caroliny diz que a tia sonhava em fazer a cirurgia, porque sempre sofreu com muitas críticas e brincadeiras de mau gosto sobre sua aparência. Simone passou pela bariátrica no dia 19 de janeiro no Hospital Santa Luzia na cidade de Goianésia. A advogada entrou no centro cirúrgico às 17h e saiu às 01h30, mais de oito horas de cirurgia.

“Era uma conquista para ela. Depois de tantas críticas, tantos apelidos, ela resolveu fazer a bariátrica”, contou a sobrinhada vítima.

No pós-operatório Simone reclamava de dores. Dois dias depois, segundo Lara, o médico identificou infecções e pediu que a advogada fosse internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Carlos, em Goiânia, para ter um atendimento mais cuidadoso e completo. Ela teve uma melhora e foi liberada para o quarto uma semana depois.

Leia Também:  Estudante goiano é encontrado morto no Paraguai

“Ela ficou uma semana no quarto, quando foi na quinta-feira resolveram refazer a bariátrica dela para tirar a infecção, pois estava muito infeccionado. Fez e ela voltou para a UTI e não saiu mais”, lamentou Lara.

De acordo com a família, Simone teve uma fístula no estômago – quando a sutura feita na cirurgia bariátrica se rompe e acaba causando infecções dentro da barriga. Com o agravamento do estado de saúde, a advogada precisou ser entubada e fazer hemodiálise, mas não resistiu e morreu na quarta-feira (28).

Homenagens

Nas redes sociais, o curso de direito da Faculdade Evangélica de Goianésia, onde Simone trabalhava como coordenadora pedagógica, lamentou a morte dela.

“Sabemos que nenhuma palavra nesse momento é capaz de trazer qualquer conforto, por isso oramos e esperamos em Deus que conforte toda família, e que a Paz que excede todo entendimento, tome conta dos corações aflitos”, menciona o comunicado.

Lara também usou as redes para prestar homenagens para a tia. “Você deixou um legado lindo aqui. Obrigada por tudo, espero te encontrar em breve. Meus dias agora serão cinzas. Te amo infinitamente”, enfatizou.

Leia Também:  Maio Amarelo na Cooper-Rubi

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA