Política

Em Inhumas, Daniel Vilela reforça parceria política entre MDB e PP a favor dos goianos

Vice-governador prestigiou 1º Encontro Regional do Progressistas realizado na noite desta segunda-feira (19). Ele destacou força do partido e a contribuição dada à gestão do governador Ronaldo Caiado. Evento contou com presença de lideranças nacionais da legenda.

Publicados

Junto ao presidente estadual do Progressistas, Alexandre Baldy, o vice-governador ressaltou que o partido tem contribuído significativamente para a gestão do Estado. Foto: André Costa

O vice-governador Daniel Vilela afirmou, nesta segunda-feira (19), que o MDB e o Progressistas (PP) “caminham muito juntos” em Goiás. Ele, que preside o MDB no estado, destacou a parceria entre os dois partidos durante o 1º Encontro Regional realizado pelo PP em Inhumas, cidade localizada a 45 quilômetros de Goiânia.

A fim de reforçar a sintonia entre emedebistas e pepistas, o vice-governador ainda ressaltou que tem acompanhado as articulações dos Progressistas com vistas às eleições municipais. O que o levaria a concluir que o PP vai ser um dos “protagonistas” em 2024, “elegendo grande número de prefeitos” em todo estado. “Eu vejo este partido como uma ‘segunda casa’. Faço questão de estar presente em todos os demais encontros que vocês organizarem”, sublinhou.

Em resposta às declarações do vice-governador, o presidente regional do Progressistas, Alexandre Baldy – ele também está à frente da Agência Goiana de Habitação (Agehab) -, lembrou que nas eleições estaduais de 2018, quando Daniel disputou o Palácio das Esmeraldas, o PP estava em sua coligação. O dirigente pepista também mencionou o apoio dado à campanha à reeleição do governador Ronaldo Caiado (UB), quando Daniel compôs a chapa como candidato a vice.

Leia Também:  Caiado anuncia fim das pontes de madeira em todos os municípios goianos

“Tenha em nós uma família”, disse Baldy ao vice-governador, observado pelo presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira (PI); pelo ministro dos Esportes, André Luiz de Carvalho, o Fufuca; e pela vice-prefeita de Inhumas, Fabianne Leão, anfitriã do ato político. “Estaremos sempre lado a lado na construção de um estado cada vez melhor e que transforma a vida dos goianos”, completou. “Aqui, Daniel, tem pessoas que o respeita e o admira”, emendou Ciro Nogueira.

Base unida

No 1º Encontro Regional dos Progressistas, o vice-governador enfatizou a “expressiva contribuição” da legenda com o “governo melhor avaliado do país” e relembrou que pesquisas recentes atribuem à gestão do governador Ronaldo Caiado índices de aprovação superiores a 80%. “Nós reconhecemos a importância deste partido para o fortalecimento da base aliada ao nosso governo”, afirmou Daniel.

“Também trago aqui um abraço do governador, que tem carinho e admiração por todos os progressistas que trabalham de forma competente em sua gestão. Alexandre Baldy é um deles. É o responsável pelo maior programa habitacional deste país; programa este que nenhum outro estado tem igual”, acrescentou.

Leia Também:  Em Ceres, Caiado participa de celebração dos 68 anos do município e vistoria obras, entrega computadores a estudantes, inaugura reforma da Coordenação Regional de Educação e autoriza ampliação de escola; Assista

Em meio à sucessão de discursos em um amplo galpão na Avenida Bernardo Sayão, no centro da cidade, também foram assinadas fichas de filiação de lideranças de Varjão, Panamá, Piracanjuba, Heitoraí e Joviânia. O ex-deputado federal Roberto Balestra, que estava distante do cenário político há vários anos, esteve no encontro regional. Inhumas é sua terra natal e é onde ele mantém negócios na iniciativa privada. Ele fez questão de cumprimentar Daniel na entrada do evento.

Além de Balestra, de militantes e de filiados ao Progressistas daquela região, o evento teve a presença de prefeitos do PP, vice-prefeitos, vereadores, dezenas de pré-candidatos, secretários do governo estadual, dos deputados estaduais pepistas Vivian Naves, Alessandro Moreira e Jamil Calife, e do federal Adriano do Baldy.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Justiça Eleitoral suspende divulgação de pesquisa eleitoral em Goianésia

Juiz verificou indícios de manipulação da sondagem. O advogado Luciano Hanna pondera que vícios induzem o eleitor a erro e desequilibram a disputa eleitoral.

Publicados

em

Justiça Eleitoral suspende divulgação de pesquisa eleitoral em Goianésia.

O juiz Érico Mercier Ramos, da 74ª Zona Eleitoral de Goianésia no Vale do São Patrício, determinou a suspensão da divulgação de uma pesquisa eleitoral com fortes indícios de manipulação. Ele também ordenou a remoção do conteúdo publicado em um site de notícias do município, que veiculou os resultados da pesquisa impugnada. Para Ramos, há claros “indícios de manipulação da pesquisa, fato este que exige desta Justiça Especializada a determinação de que não haja divulgação, com vistas a guardar a isonomia do processo eleitoral”. Em caso de descumprimento, ele fixou multa de R$ 5 mil.

A ação foi proposta pelo Partido Renovação Democrática (PRD) em desfavor de Direct Pesquisas e do Portal Meganésia. O instituto realizou pesquisa de intenção de voto no município, contratado pelo Portal Meganésia. A sondagem foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e divulgada no veículo. Entretanto, há fartos indícios de manipulação por meio dos questionários aplicados pelos entrevistadores. “A pesquisa foi feita de modo a induzir o eleitor que está sendo entrevistado ao erro”, explica o advogado eleitoralista Luciano Hanna, que representa o PRD. “Os questionários induzem o eleitor a responder que seria Renato de Castro (deputado estadual e pré-candidato) o atual prefeito, o que não é verdade”, acrescenta. Todas as alegações foram acompanhadas de farto conteúdo probatório.

Leia Também:  Debate sobre terceirização da Educação movimenta a Alego

Em uma das abordagens, o eleitor é convidado a avaliar o grau de satisfação em relação ao governo do presidente Lula, depois do governador Ronaldo Caiado e, em seguida, a responder: “Qual o seu grau de satisfação em relação ao Prefeito da cidade de Goianésia, ‘Renato de Castro’?”. Na ação, Luciano Hanna esclarece que Renato de Castro foi prefeito de Goianésia no período de janeiro de 2016 a dezembro de 2020 e atualmente exerce mandato de deputado estadual. “Percebe-se que, ao avaliar satisfatoriamente o governo municipal, sendo este identificado equivocadamente com o nome de ‘Renato de Castro’, o entrevistado foi induzido para responder, adiante, que votaria no próprio ‘Renato de Castro’ para prefeito nas eleições deste ano, ainda que de maneira implícita”, demonstrou o advogado.

Além disso, ficou comprovado que a pesquisa foi realizada com o intuito de avaliação única do pré-candidato Renato de Castro, já que os questionários traziam sempre apenas dois nomes, um deles do ex-prefeito e atual deputado. “Da forma como foi feita, os pré-candidatos Hélio, José, Leonardo e Henrique apareceram uma única vez na enquete, enquanto o nome do pré-candidato Renato de Castro foi citado quatro vezes. Com isso, Renato possuiu quatro vezes mais chances de ser a escolha dos entrevistados, o que, claramente o coloca em uma posição de vantagem no resultado da pesquisa e induz os eleitores a erro”, argumentou Luciano Hanna.

Leia Também:  Deputado Alexandre Baldy deve ser empossado Ministro das Cidades na próxima terça

Em sua decisão, o juiz eleitoral ponderou que a pesquisa eleitoral é o levantamento e a interpretação de dados sobre opinião ou preferência do eleitorado quanto aos candidatos, com rigorosa adoção de método específico e definição de âmbito e abrangência dos dados coletados. “Esses traços, aliás, são os que permitem diferenciar a pesquisa eleitoral da simples enquete”, ressaltou, acrescentando que as pesquisas eleitorais são capazes de gerar credibilidade perante o eleitorado, e, em consequência disso, a lei veda a divulgação de pesquisas que não cumpram todas as condições dispostas legalmente. Ele concluiu que a pesquisa questionada não cumpriu as exigências legais.

Rapidez

Para Luciano Hanna, ficou claro que a Justiça Eleitoral está preparada para responder a qualquer falha em pesquisas eleitorais em que houver impugnação e tiver fundamento, assim como em outros aspectos que estejam ferindo as resoluções e a legislação eleitoral. “A princípio é uma resposta rápida da Justiça Eleitoral em face a esse erro crasso a estar sempre induzindo o eleitor a responder favoravelmente a um candidato, totalmente direcionada, tirando a imparcialidade e a correta realidade no município”, avalia.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA