Economia

Governo de Goiás é premiado pela melhor transparência do país

Estado alcançou maior pontuação do país em avaliação realizada pelo Ministério da Fazenda a partir de dados enviados pelos estados ao Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público (Sinconfi)

Publicados

Cerimônia realizada na Esplanada dos Ministérios. Foto: Secretaria da Economia

Nesta quinta-feira (21), Goiás recebeu o Prêmio Qualidade da Informação Contábil e Fiscal no Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi) 2023. A premiação concedida pelo Ministério da Fazenda foi entregue à secretária da Economia, Selene Peres, durante cerimônia realizada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF).

Com o melhor desempenho absoluto no ranking nacional, Goiás alcançou nota A e um total de 132,29 pontos. “É um prazer receber o prêmio de primeiro lugar no Ranking da Qualidade da Informação Contábil e Fiscal no Siconfi. Isso é o resultado de um trabalho árduo da equipe de contadores do Estado de Goiás, o que contribui para a transparência das informações, para a gestão do Estado e também para sociedade goiana”, afirmou Selene Nunes.

O ranking compara o desempenho nas informações contábeis e fiscais, levando em conta dados do ano anterior. Ao todo, foram premiados os três primeiros colocados em desempenho e em maior grau de evolução em quatro categorias: Estados e Distrito Federal; capitais; municípios com mais de cem mil habitantes; e municípios com até cem mil habitantes. Além de reconhecimento público e placa, os profissionais de contabilidade responsáveis pelo envio das informações no Siconfi receberam certificados individuais.

Leia Também:  Ministério da Economia lamenta decisão da Ford e pede avanço de reformas para manter fábricas no país

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Ministro confirma exoneração de diretor envolvido no leilão do arroz

Publicados

em

O ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, confirmou, nesta terça-feira (25), que o diretor de Abastecimento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Thiago dos Santos, será exonerado. A diretoria de Santos era a responsável pelo leilão para importação de arroz que foi anulado no início deste mês em razão de “fragilidades” no edital do certame.

Ao chegar ao Palácio do Planalto para reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Teixeira disse que o governo “vai trocar” o diretor da Conab. Thiago dos Santos foi indicação do então secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, que também deixou o governo após suspeitas de conflito de interesse em torno do leilão. Uma das corretoras de grãos que participou do certame é de propriedade de um ex-assessor parlamentar de Geller na Câmara e sócio do filho do ex-secretário em outra empresa.

Ainda não há data para a publicação do novo edital para a importação de 1 milhão de toneladas de arroz. O objetivo da compra pública é garantir o abastecimento e estabilizar os preços do produto no mercado interno, que tiveram uma alta média de 14%, chegando em alguns lugares a 100%, após as inundações no Rio Grande do Sul em abril e maio deste ano.

Leia Também:  Em Goiás, jovem com transtornos psiquiátricos é suspeito de matar avó, tia e primo

O estado é responsável por cerca de 70% do arroz consumido no país. A produção local foi atingida tanto na lavoura como em armazéns, além de ter a distribuição afetada por questões logísticas no estado.

O governo federal decidiu anular o leilão realizado pela Conab no dia 6 de maio e cancelou a compra das 263,3 mil toneladas de arroz que seriam importadas para o país, em razão de “fragilidades” no edital. As empresas participam do leilão representadas por corretoras em bolsas de Mercadorias e Cereais e só são conhecidas ao final.

Novo edital será publicado, com mudanças nos mecanismos de transparência e segurança jurídica, mas ainda não há data para o novo leilão. No total, mais de R$ 7 bilhões foram liberados pelo governo para a compra de até 1 milhão de toneladas de arroz.

Fonte: EBC Economia

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA