HPV: quem tem uma dose está plenamente vacinado, diz ministério

Publicados

Crianças e adolescentes com idade entre 9 e 14 anos que receberam apenas uma dose da vacina contra o HPV passam a ser classificados pelo Ministério da Saúde, a partir de agora, como plenamente vacinados. A afirmação é do diretor do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Eder Gatti.

Em entrevista à TV Brasil, ele explicou que a mudança no esquema vacinal anunciada pela pasta foi embasada por estudos recentes sobre o desempenho da dose e recomendada pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS) como estratégia de combate ao câncer de colo de útero, diretamente associado à infecção por HPV.

“O Brasil fez uma discussão técnica considerando as recomendações do comitê técnico assessor, composto por representantes da sociedade científica, de sociedades médicas. Ouvimos nossos especialistas e, diante das evidências, houve a recomendação do Ministério da Saúde passar a recomendação para uma dose,” explicou.

Para Eder, a estratégia em dose única simplifica o esquema e facilita a adesão, contribuindo para ampliar a cobertura vacinal contra o HPV no Brasil. “Com uma dose, certamente, a nossa cobertura vai subir e permite que a gente otimize os estoques das vacinas que o ministério tem – inclusive, vai permitir fazer o resgate de pessoas que não foram vacinadas ainda”.

Leia Também:  Cerca de 10 mil transplantes deixam de ser realizados no país

Como parte da estratégia, a pasta pede que estados e municípios façam uma busca ativa por crianças e adolescentes de 9 a 19 anos que não tenham recebido nenhuma dose da vacina. “Teremos um quantitativo maior de doses à nossa disposição. É uma medida que garante segurança e efetividade para aquelas pessoas que foram e que serão vacinadas”.

“O ministério vai oficializar essa medida com a publicação de uma nota técnica que sai hoje. A partir da publicação, as pessoas que receberam uma dose já estão plenamente vacinadas e não precisarão receber a segunda dose. E as pessoas que forem procurar o posto para se vacinar a partir de agora, com apenas uma dose, vão estar plenamente vacinadas.”

O diretor lembrou que a imunização contra o HPV é considerada vacinação de rotina. As doses, portanto, estão disponíveis em todos os postos de saúde do país de forma permanente. Estratégias como campanhas de multivacinação, voltadas para atualização da caderneta, além de campanhas nas escolas, contribuem para intensificar a adesão.

“Existe, infelizmente, no nosso país, de forma crescente, a disseminação de notícias falsas relacionadas a vacinas tendo como alvo a confiança das pessoas na vacinação. A vacinação contra a covid-19 foi um dos principais alvos dessas fake news. A vacina do HPV também é alvo de muitas notícias falsas que acabam levando as pessoas a se sentirem desestimuladas a se vacinar.”

Leia Também:  Fiocruz aponta estabilidade em casos de síndrome respiratória grave

“Apesar de serem alvo, a gente trabalha muito pra recuperar a confiança das pessoas nas vacinas. Crianças e adolescentes de 9 a 14 anos, meninos e meninas, devem se vacinar contra o HPV. É uma vacina segura, uma vacina que salva vidas, uma vacina que evita câncer e verrugas, está disponível no SUS e é de graça”, concluiu.

Em entrevista à Agência Brasil, a presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Mônica Levi, considerou a mudança uma estratégia acertada.

“É uma tendência. Vários países do mundo estão migrando para a dose única. Alguns porque não têm vacina e o único jeito de introduzir é com uma dose apenas. Outros, como Austrália, Escócia e Dinamarca, migraram para a dose única porque já conseguiram controlar ou reduzir em mais de 90% a circulação do vírus, das lesões e do câncer propriamente dito. Então, eles estão migrando para uma dose para manter o vírus com circulação baixa ou até ausente”.

*Colaborou Michelle Canes, da TV Brasil.

Fonte: EBC SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Cidades fluminenses participam do Dia D de vacinação contra gripe

Publicados

em

Todos os 92 municípios do Rio de Janeiro irão participar neste sábado (13) do Dia D de Vacinação contra a gripe no estado, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. A estimativa é aplicar 2 milhões de doses nos 2.118 pontos de vacinação que ficarão abertos, das 8h às 17h.

O público-alvo são idosos com 60 anos de idade ou mais, crianças de 6 meses a 5 anos e 11 meses, gestantes e puérperas.  A vacina é trivalente, ou seja, protege contra Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B.

Para quem for se imunizar, é necessário apresentar documento de identificação e, se possível, a caderneta de vacinação.

A campanha começou em 25 de março e vai até o dia 31 de maio, tendo como meta atingir 90% de cobertura vacinal dos grupos prioritários, o que corresponde a 6,7 milhões de pessoas no estado. Em 2023, o estado chegou ao percentual de 53,44% de cobertura vacinal.

A secretária estadual de Saúde, Claudia Mello, disse que o Dia D é importante para aumentar a imunização contra a doença e reduzir a transmissão dos vírus entre as pessoas, evitando internações, complicações e óbitos. “Pedimos à população que vá aos postos e busque proteção, porque a vacina é comprovadamente segura para toda a família e, além disso, é distribuída gratuitamente”. 

Leia Também:  Mais da metade das prefeituras concorda com "passaporte" da vacina

Estudos estimam que a vacinação impacta em uma queda de 32% a 45% das hospitalizações por pneumonias; de 39% a 75% a mortalidade global; e cerca de 50% as doenças relacionadas à influenza

Quem pode se vacinar

Crianças de 6 meses a 9 anos de idade, que nunca foram vacinadas, devem tomar duas doses com intervalo de um mês, e as que já se vacinaram em anos anteriores devem tomar uma dose anualmente.

Quem for diagnosticado com dengue ou por algum outro quadro infeccioso ou febril deve aguardar de 15 a 20 dias para receber o imunizante contra a gripe.

Os infectados com Covid-19 precisam esperar 28 dias.

Capital

Na capital, serão mais de 600 postos de vacinação nas unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) e também em locais como praças, associações de moradores, igrejas, shoppings e escolas. A lista completa está disponível para consulta no site da Secretaria Municipal de Saúde. link .

.“O pico da doença ocorre nos meses de julho e agosto, no inverno, então é importante que a população esteja vacinada antes desse período. O ideal é que as pessoas busquem se vacinar o mais rápido possível, para estarem protegidas”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Leia Também:  Campanha Abril Lilás chama atenção para o câncer de testículo

Na Praça Afonso Pena, na Tijuca, além da vacinação, terá apresentação de percussão da Casa Bibi Franklin com a bateria mirim da Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro, roda de samba e show de Carlos Evanney, cover oficial do Rei Roberto Carlos, brincadeiras e teatro.

Já na Quinta da Boa Vista, será realizada a “Caminhada Bora Viver: A Vida Requer Cuidados”. Em frente ao Museu Nacional, das 9h às 12h, a tenda de vacinação terá oficinas de arteterapia, exposições, contação de histórias, produção de histórias em quadrinhos e apresentações culturais.

Fonte: EBC SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA