Cidades

Idoso de 73 anos é resgatado após ficar 30 horas perdido no Parque Terra Ronca

A família disse que o idoso saiu de casa para pastorear gado no entorno do parque e não voltou. Ele foi levado para o hospital de São Domingos.

Publicados

Idoso de 73 anos é resgatado após ficar 30 horas perdido no Parque Terra Ronca. Foto: Reprodução

Um idoso de 73 anos foi resgatado nesta sexta-feira (2), após ficar mais de 30 horas perdido na região do Parque Estadual da Terra Ronca (Peter), em São Domingos (GO). O homem foi encontrado por dois servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e eles disseram que o idoso não conseguia falar e não tinha ferimentos aparentes.

Conforme o chefe do parque Wesley Andrade, a família do idoso disse que ele saiu de casa na quinta-feira (1º) para fazer o manejo de cabeças de gado, mas o animal em que ele estava montado voltou sozinho no fim do dia. A esposa avisou os parentes e amigos da comunidade e fizeram buscas pelo idoso durante toda a noite. Na sexta-feira (2), o grupo resolveu acionar a Semad.

“Nós o encontramos em um local chamado Vereda do Correia, próximo ao Morro do Coroa, na Serra Geral de Goiás. Uma ambulância da prefeitura e outra do Samu nos encontraram logo em seguida e levaram-no para o atendimento médico”, relata Wesley.

Leia Também:  PM realiza abordagem de motorista suspeito de embriaguez em Rialma

A Semad informou que o idoso foi medicado e não estava ferido. Ele foi levado para o hospital do município para realizar exames. A perda da fala ainda está sendo investigada pelos médicos.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Mulher que foi espancada por fisiculturista morre em UTI

Na segunda-feira (20), Igor passou por audiência de custódia e teve a prisão mantida. Com a morte da esposa, ele deve passar a responder por crime de feminicídio.

Publicados

em

Igor Porto Galvão e Marcela Luise de Sousa. Foto: Reprodução

Marcela Luise de Sousa Ferreira 31 anos, que ficou toda “quebrada”, mais de dez fraturas confirmadas, e seguia em coma com quadro clínico considerado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Mônica, em Aparecida de Goiânia, após ser brutalmente espancada pelo marido, o fisiculturista e nutricionista Igor Porto Galvão, teve a morte cerebral confirmada na noite de segunda-feira (20), após 11 dias internada na unidade de saúde.

Dentre as lesões, a vítima sofreu traumatismo craniano em ambos os lados da cabeça, na base do crânio, fraturou a clavícula, oito costelas e teve várias escoriações pelo corpo.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por um tomógrafo específico para que os peritos tenham uma análise mais apurada de todas as lesões. O exame poderá determinar, inclusive, quando as fraturas foram causadas, já que há desconfiança que Marcela estivesse sofrendo violência dentro de casa de forma recorrente.

Leia Também:  Itaguaru: Caiado entrega novas casas do Pra Ter Onde Morar

Na segunda-feira (20), Igor passou por audiência de custódia e teve a prisão mantida. Com a morte da esposa, ele deve passar a responder por crime de feminicídio.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA