Plantão Policial

Iporá: Homem é suspeito de atirar contra portão da ex após ela entrar em casa com namorado; Assista

Para a polícia, a vítima informou que João Bueno não aceitou o término do casamento há mais de um ano e, desde então, tem perseguido ela e um filho.

Publicados

Machado apreendido pela Polícia Civil na cena do crime. Foto: PC

Um homem identificado como João Bueno Moraes de 55 anos, suplente de vereador é suspeito de atirar ao menos cinco vezes contra o portão da ex-mulher ao vê-la entrando em casa com o atual namorado, em Iporá.

Conforme informações, após o crime, o suspeito não foi mais visto e está sendo convocado pela Polícia Civil (PC) a prestar depoimento sobre o caso. João está desaparecido há uma semana.

Ele ainda não é considerado foragido, pois não há um mandado de prisão expedido em desfavor dele, mas a Polícia Militar (PM) o procura para depor sobre o caso na Polícia Civil.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Igor Dalmy, João pode responder por feminicídio tentado contra a ex-mulher, homicídio qualificado tentado contra o atual companheiro da ex e porte ilegal de arma de fogo.

O crime

O fato ocorreu no último sábado, 25 de novembro. Segundo o depoimento da ex-mulher, ela chegou em casa com o namorado e percebeu o carro do ex-marido nas proximidades. Ele estaria com uma arma e um machado nas mãos, por isso, ela e o atual companheiro correram para dentro da casa e seguraram o portão.

Leia Também:  Rialma: Idoso é atropelado na GO-480 no distrito de Castrinópolis

Após o casal entrar, o ex teria atirado aproximadamente cinco vezes contra o portão e, por sorte, os disparos não atingiram ninguém.

A mulher informou que o suspeito não aceitou o término do casamento há mais de um ano e, desde então, tem perseguido ela e um filho, conforme foi revelado pela PC. Ela relatou para o delegado que o ex tem estacionado o carro perto da casa onde ela mora para ficar a observando. O casal está com processo de divórcio em andamento e têm dois filhos adultos.

Histórico

De acordo com a PC, não há denúncias de violência doméstica contra João Bueno, durante o período de relacionamento do casal. “Eles não deram certo mesmo, aí ele se mudou para outra casa e ele chamou ela para ir junto, mas como ela queria separar, aproveitou a oportunidade para morar sozinha e pedir o divórcio” informou Igor Dalmy com base no depoimento da ex. João não possui qualquer outro tipo de passagem criminal, conforme a PC.

Investigações

A PC encontrou um celular encontrado dentro do carro do suspeito e um machado foi apreendido para a investigação. A PC aguarda um laudo da perícia feita na cena do crime que deve ficar pronto ainda em dezembro.

Leia Também:  Jovem é encontrada morta com mais de 20 facadas pelo corpo

“Nós vamos ouvir também testemunhas sobre o histórico de perseguição contra a ex-esposa e aguardar o laudo pericial. Vamos ouvir conhecidos, vizinhos e os filhos da vítima” adiantou Igor Dalmy.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PLANTÃO POLICIAL

Tesoureiro de banco é suspeito de desviar R$ 3,5 milhões para jogos virtuais

O BRB realizou denúncia após perceber irregularidades contábeis em uma das agências do DF.

Publicados

em

Um tesoureiro de uma agência do Banco de Brasília S.A. (BRB) é alvo de uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal (PC-DF) por suspeita de desviar R$ 3,5 milhões para jogos de apostas virtuais.

Conforme informações, o BRB realizou a denúncia após perceber irregularidades contábeis em uma das agências do Distrito Federal. A PC-DF deflagrou a operação com mandados de busca e apreensão, além do bloqueio de valores das contas do investigado.

O suspeito retirava o dinheiro e depositava em sua conta pessoal e por ter acesso ao cofre e saber das operações de caixa, ele falsificava documentos para esconder os desvios da tesouraria.

O homem usava o dinheiro para jogos de apostas virtuais, indicou a investigação. A PC-DF ainda apura se outros servidores estiveram envolvidos no esquema.

Houve o bloqueio de R$ 3,5 milhões e a investigação ainda conseguiu o bloqueio judicial de valores na conta corrente, ativos financeiros, investimentos e seguros de vida no nome do servidor até o montante supostamente desviado.

Leia Também:  Empresas estaduais e municipais poderão pegar R$ 3 bi emprestados

O homem que não teve o nome divulgado é investigado por peculato e lavagem de dinheiro e as penas podem chegar a 22 anos de prisão.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA