Opinião

O mundo fora da ordem!

Os desafios, nesse novo ano, são astronômicos, como se não bastasse o festival de tristezas que puseram nas mãos disso que chamaram de Covid e que o responsabilizam por tudo o que de pior está nos atacando.

Publicados

O novo Ano começa com muita coisa fora da ordem mundial, inclusive no Brasil, como se o resto do mundo estivesse dentro de alguma ordem considerada aceitável!

Curiosamente, a questão pandêmica, que já deveria estar andando para o seu final, voltou a ser objeto de preocupação, uma vez que retornou, parece que para levar o resto que ela ainda não tinha conseguido pôr as mãos.

Os desafios, nesse novo ano, são astronômicos, como se não bastasse o festival de tristezas que puseram nas mãos disso que chamaram de Covid e que o responsabilizam por tudo o que de pior está nos atacando.

Dentre as muitas consequências nefastas que estamos a viver está o processo educacional das nossas crianças, que terão de conviver com a comunicação virtual, dependendo de uma internet cheia de falhas e que nem sempre está à altura das exigências dos nossos meninos. Uma internet também cheia de saídas mágicas, bastando apenas saber acessá-las. Se elas não souberem acessar, por meio de celulares cada vez mais carregados de aplicativos cheio de raridades inúteis, para que servem, então, esses aplicativos?  Temos o glorioso Facebook, que serve para preencher o tempo de pessoas com um excesso de tempo a ser completado.

Leia Também:  Indenização por abandono afetivo: monetização do afeto ou reconhecimento do dever de cuidado?

Temos também um excesso de chuvas em algumas regiões e uma carência dela em outras, o que nos acarreta um inferno chamado de inflação, que tira a acessibilidade de produtos, porque os efeitos dela atuam diretamente no preço dos mesmos, criando um distanciamento abismal entre os consumidores, conforme suas posses para aquisição desses produtos que dão sustentação as nossas vidas!

Outro desafio a ser enfrentado se chama “meio ambiente”! Parece que o Brasil carrega nas costas a responsabilidade pelos desequilíbrios que afetam, especialmente, a região da Amazônia brasileira. Não ouço ninguém a falar do que se passa na Amazônia peruana, colombiana, boliviana, dentre os outros países que compõem essa região. Parece que nesses lugares tudo está conforme o desejável.

Dentre os muitos desafios está o eleitoral que vai escolher o novo mandatário da nação. Pelo andar das pesquisas, o processo eleitoral não precisa ser realizado, uma vez que o escolhido pela imprensa já foi eleito! Curiosamente, segundo a imprensa, o novo presidente será um ex-presidiário cujo histórico de vida dispensa comentários!

Leia Também:  Contabilidade e a pandemia

O momento é delicado: exige paciência e coragem para seguir a caminhada!

Cícero Maia é professor – [email protected]

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ARTIGO

A Hepatite Misteriosa

O que é essa Hepatite Misteriosa que tem acometido nossas crianças? É um tipo de hepatite aguda (inflamação do fígado de forma abrupta) de origem desconhecida que está acometendo crianças em cerca de 20 países. Muito severa, a doença não tem relação direta com os vírus conhecidos que causam a hepatite (tipos A, B, C, D e E) e um em cada dez casos exigiu transplante de fígado.

Publicados

em

Muito se tem falado dessa Hepatite Misteriosa que tem acometido nossas crianças e muitos pais têm perguntado sobre, então resolvi explicar um pouco sobre essa doença. Esclarecendo um pouco mais do assunto, que ainda não se sabe muito. Quero ressaltar sempre a importância do acompanhamento periódico das crianças com seus Pediatras.

O que é essa Hepatite Misteriosa que tem acometido nossas crianças? É um tipo de hepatite aguda (inflamação do fígado de forma abrupta) de origem desconhecida que está acometendo crianças em cerca de 20 países. Muito severa, a doença não tem relação direta com os vírus conhecidos que causam a hepatite (tipos A, B, C, D e E) e um em cada dez casos exigiu transplante de fígado.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até o último dia 10 de maio, foram reportados 348 casos prováveis da hepatite misteriosa no mundo, sendo que a maioria foi no Reino Unido. Houve relatos na Espanha, Israel, Estados Unidos, Dinamarca, Irlanda, Holanda, Itália, Noruega, França, Romênia, Bélgica e Argentina. A maioria em crianças de um mês a 16 anos, com seis mortes relatadas nos EUA. No dia 14 de maio, o Ministério da Saúde informou que o Brasil tem 41 casos notificados da doença em nove estados.

Leia Também:  O Vilão que mata a fome e salva a Economia Brasileira

Como possível causa, o adenovírus foi detectado em pelo menos 74 casos; em 18 casos, testes moleculares identificaram a presença do adenovírus F tipo 41 e em 20 foi identificada a presença do SARS-CoV-2. Além disso, em 19 houve uma coinfecção por SARS-CoV-2 e adenovírus.

O adenovírus é um vírus comum que pode causar sintomas respiratórios, vômitos e diarreia, e, no geral, a infecção por tais vírus é de duração limitada e não evolui para quadros mais graves. Houve casos raros de infecções graves por adenovírus que causaram hepatite em pacientes imunocomprometidos ou transplantados, No entanto, essas crianças infectadas eram anteriormente saudáveis.

Esse surto pode estar relacionado às vacinas do COVID-19? Com base nas informações atuais, a maioria das crianças relatadas com a hepatite aguda não recebeu a vacina contra Covid-19, descartando uma ligação entre os casos e a vacinação neste momento.

Quais são os sintomas e o tratamento? Muitos casos de hepatite aguda apresentaram: sintomas gastrointestinais como dor abdominal, diarreia e vômitos e aumento dos níveis de enzimas hepáticas (aspartato transaminase (AST) ou alanina aminotransaminase (ALT) acima de 500 UI/L), icterícia (pele e esclera -parte branca dos olhos- amarelados) e ausência de febre. Perda de apetite. Urina escura e fezes esbranquiçadas.

Leia Também:  Indenização por abandono afetivo: monetização do afeto ou reconhecimento do dever de cuidado?

A Opas recomenda ainda o uso de medidas básicas de higiene, como lavar as mãos e cobrir a boca ao tossir ou espirrar para prevenir infecções, que também protegem contra a transmissão do adenovírus. As recomendações de tratamento podem ser aprimoradas assim que a origem da infecção for determinada. O tratamento atual busca aliviar os sintomas, manejar e estabilizar o paciente.

O mais importante é ficar atento aos sintomas, estando presentes deve-se procurar atendimento médico imediatamente.

Adriana Cássia Moreno Saturno é Médica Pediatra

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA