Agricultura

Sudoeste goiano deve se tornar referência em fruticultura

Projeto pioneiro elaborado pela Emater e Fazenda New Life expandirá produção de abacate em Santa Rita do Araguaia, visando abastecimento do comércio regional e também mercados do Norte e Nordeste do Brasil.

Publicados

Polo de produção deverá ser o maior plantio de abacate no Centro-Oeste. Foto: Divulgação/Emater.

Visando oferecer mais uma forma de agregação de renda ao agricultor familiar e movimentar a economia da região, a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e a New Life firmaram parceria para implantação do primeiro polo de produção de abacate em Goiás, na cidade de Santa Rita do Araguaia.

Dividido em duas etapas e somando, ao todo, trezentos hectares, o plantio – que deverá ser o maior da fruta no Centro-Oeste – considerou uma seleção de variedades que se adaptaram às condições edafoclimáticas da região, considerando, ainda, a capacidade de expansão da fruticultura local. A primeira metade da produção será plantada na Fazenda New Life, que servirá como uma espécie de laboratório do projeto.

Apesar de grande consumidor, o estado de Goiás ainda não é protagonista quando se fala em produção de abacate. Segundo a Radiografia do Agro 2022, na Ceasa Goiás, em 2021 foram comercializadas mais de 15 mil toneladas da fruta, sendo que deste total, somente 3 mil toneladas foram produzidas no estado. Atualmente, o estado figura no 16° lugar no ranking brasileiro de produção de abacate, produzindo, em média, 6 toneladas por hectare.

“Se compararmos a produção do nosso estado com Minas Gerais, São Paulo e Paraná, por exemplo, ela é irrisória. Porém, apesar de produzir menos, aqui se comercializa mais abacate do que nesses lugares. Então, precisamos atender nossa própria demanda e fazer com que a fruta chegue mais fresca ao comércio local”, explica José Luiz Pereira, coordenador da Unidade Regional Sudoeste, que conduz o projeto.

Leia Também:  Em Itaberaí, homem é atropelado por veículo em alta velocidade ao sair de supermercado; Assista

Além de inovar, a iniciativa também visa estabelecer ações focadas na sustentabilidade e no aumento da rentabilidade de agricultores familiares. “Queremos fazer algo que tenha propósito. O projeto precisa fazer sentido no que diz respeito a gerar conhecimento e melhorar a qualidade de vida da comunidade local”, ressalta Juliano de Oliveira, proprietário e fundador da New Life.

Cronograma

Após a fase de seleção e plantio, serão realizados os primeiros testes do projeto. No total, será feito o plantio de 170 hectares da fruta na Fazenda New Life, sede do laboratório experimental do polo de produção de abacate, em Santa Rita do Araguaia. Até o momento, já foram plantados cerca de 60 hectares.

A Emater é a responsável pela elaboração do projeto e pela capacitação dos agricultores familiares, para garantir o melhor aproveitamento da produção. O objetivo é atender uma demanda do mercado goiano e nacional, além de tornar o município uma referência na comercialização de abacate. Somente após os resultados preliminares, previstos para 2024, os produtores serão integrados à iniciativa.

Leia Também:  Durante entrevista, Caiado diz ser viável o repasse de rodovias goianas para iniciativa privada com a cobrança de pedágios

“Elaboramos o projeto pensando, principalmente, no agricultor familiar. Aplicaremos esta técnica junto aos produtores assim que o projeto-piloto for validado, ou seja, quando tivermos a certeza de que as variedades escolhidas trarão resultados benéficos a eles”, destaca José Luiz.

Vantagens da produção

Além de possuir múltiplos benefícios para a alimentação humana, o abacate possui uma grande versatilidade comercial, pois pode ser consumido tanto in natura, como em forma de polpa (suco), além de ser utilizado para extração de óleo e na fabricação de cosméticos.

“Nosso clima é favorável à produção. O que não se enquadrar no mercado in natura, pode ir para o processamento de polpa, para ser utilizado na culinária e na fabricação de cremes e xampus, por exemplo. O azeite de abacate é semelhante ao de oliva e, com a sua popularização, acreditamos que possa ser competitivo neste mercado”, ressalta o coordenador Regional da Emater.

Nesta primeira leva, foram plantados 250 abacateiros por hectare. A expectativa é que, na primeira safra, em 3 anos, consiga-se colher uma média de 20 kg de abacate por planta.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESTADO

Emater comercializa hastes de pequi com e sem espinhos para viveiristas

Objetivo é reproduzir as plantas selecionadas e disponibilizar para o mercado mudas com qualidade genética.

Publicados

em

Viveiristas interessados em hastes de pequi devem preencher formulário até 08 de março. Fotos: Emater

Com o objetivo de contribuir para a reprodução de mudas de pequi com e sem espinhos para atender a demanda do mercado, a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) vai comercializar hastes com gemas para enxertia de cinco cultivares para viveiristas. Os interessados devem manifestar interesse no período de 28 de fevereiro a 8 de março por meio do formulário disponível no site da Agência.

Para adquirir as hastes, os viveiristas devem estar cadastrados no Registro Nacional de Sementes e Mudas (RENASEM) do Ministério da Agricultura e Pecuária, possuir mudas aptas para enxertia e estarem interessados em formar um jardim clonal para comercialização. As cultivares de pequizeiro disponíveis foram desenvolvidas pela Emater em parceria com a Embrapa Cerrados.

As hastes para enxertia serão comercializadas com base no número de gemas pelo preço de R$ 2,00 cada, sendo as embalagens por conta dos solicitantes. Cada viveirista poderá adquirir até 100 gemas de cada cultivar, sendo a oferta limitada ao estoque disponível e condicionada à manifestação de interesse.

Leia Também:  Bombeiros resgatam embarcação naufragada no rio Araguaia

Após envio dos documentos, os viveiristas aptos à aquisição das hastes serão comunicados para os trâmites de pagamento. A retirada será realizada depois da confirmação do pagamento e ocorrerá no período de 11 a 29 de março (11 a 29/03), mediante agendamento prévio de no mínimo três dias. É possível agendar pelo e-mail pequi.emater@goias.gov.br ou pelo telefone (62) 3201-3207 e a retirada será na sede da Emater, em Goiânia.

A Emater e a Embrapa Cerrados poderão revogar a presente oferta por interesse público, antes da entrega das hastes e declará-lo nula por motivo de força maior, caso seja constatada qualquer ilegalidade ou não conformidade. Para mais informações, o interessado deve entrar em contato pelo e-mail pequi.emater@goias.gov.br ou telefone (62) 3201-3207.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA