Opinião

Território Neanderthal

Publicados

A caverna de Bacho Kiro, na Bulgária, é um labirinto de galerias de quatro andares e revelador da presença humana pré-histórica. Os Neandertais ocuparam-na primeiro, há mais de 50.000 anos, e deixaram suas ferramentas de pedra entre as estalagmites. Em seguida, vieram os humanos modernos em pelo menos duas ondas. A primeira cobriu o chão da caverna com contas e lâminas de pedra manchadas de ocre, cerca de 45.000 anos atrás. Outro grupo se estabeleceu há cerca de 36.000 anos com artefatos ainda mais sofisticados.

E esses primeiros humanos modernos que chegaram na Bulgária já tinham herança Neandertal. Como mostra o genoma de uma mulher de pele escura, cabelos castanhos e olhos castanhos da caverna Zlatý kůň, na República Tcheca, três por cento do DNA dela era Neandertal, que provavelmente veio de um acasalamento mais antigo, ainda no Oriente Médio, não de um contato mais recente na Europa.

Pela primeira vez, estamos obtendo DNA antigo de vários dos primeiros humanos modernos que entraram na Europa, e que revela muito sobre as interações entre esses humanos com alguns dos últimos Neandertais na Europa.

Depois que os humanos modernos saíram da África de 60.000 a 80.000 anos atrás, eles acasalaram pelo menos uma vez com Neandertais, provavelmente no Oriente Médio cerca de 50.000 anos atrás, como já mostraram pesquisas anteriores de DNA antigo. Esses estudos incluem análises de dois primeiros humanos modernos da Eurásia: um osso da coxa de um homem de Ust’-Ishim, na Sibéria, com 45.000 anos, e o osso da mandíbula de um jovem da caverna Petştera cu Oase, na Romênia, datado entre 37.000 e 42.000 anos atrás. O homem Oase tinha 6,4% de seu DNA de um ancestral Neandertal. Mas ele viveu pelo menos 5.000 anos depois que os humanos modernos chegaram à Europa.

Leia Também:  Uma crítica à propaganda eleitoral antecipada

Mateja Hajdinjak e Svante Paabo, do Max Planck Institute for Evolutionary Anthropology (MPI), analisaram os genomas de Bacho Kiro, utilizando uma nova técnica baseada em proteínas. Nesse estudo, os pesquisadores sequenciaram genomas de um molar e fragmentos ósseos dessa camada intermediária e os dataram diretamente de 42.580 a 45.930 anos atrás. Eles também sequenciaram DNA de osso encontrado em uma camada mais jovem e dataram de 35.000 anos atrás. Restos de ambas as camadas eram humanos modernos, mas de diferentes populações, conforme divulgaram na revista Nature.

Os genomas mostram que os três humanos modernos mais antigos em Bacho Kiro eram parentes distantes de um esqueleto parcial de 40.000 anos de Tianyuan na China, bem como de outros asiáticos e nativos americanos antigos e vivos. Isso sugere que todos eles descendem de uma população primitiva que já se espalhou pela Eurásia, mas cujos descendentes na Europa parecem ter morrido. A linhagem sobreviveu na Ásia, mais tarde dando origem a pessoas que migraram para a América.

Leia Também:  A Educação em 2019, por Mario Eugenio Saturno

As evidências mostram que ao sair da África, os humanos modernos entraram em território já ocupado por Neandertais, o que sugere assimilação ou extinção, não necessariamente por confronto direto. Essa primeira onda humana na Europa também foi extinta.

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot. com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

Caverna de Bacho Kiro na Bulgária

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ARTIGO

A Constituição e os Poderes!

O Poder Executivo apostava no uso de um medicamento que, segundo dizem, não tem comprovação científica de sua eficiência.

Publicados

em

A Constituição Federal de 1988, estabeleceu, em seu Art. 2°, que o Estado brasileiro é constituído por Poderes formado pelos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário que atuam de forma harmônica e independentes entre si e que exercem funções atinentes aos encargos específicos do segmento ao qual estruturam a sociedade brasileira e que dão forma à vida social e econômica em nosso país.

Com a chegada da monstruosa pandemia que vem desgraçando a vida das famílias no Brasil e no mundo, o Poder Executivo, responsável pela execução das ações pertinentes pela promoção do bem-estar da população, tomou providências correspondentes às necessidades que se fizeram necessárias ao enfrentamento para anular ou reduzir as ações do vírus que estão transformando as sociedades universal.

Apesar de todos os esforços médicos, sociais, econômicos e financeiros realizados pelo Poder Executivo, feitos na sociedade nacional, para aplacar os efeitos negativos, as consequências perversas não param de crescer, como se nada estivesse sendo feito para reduzir os efeitos da pandemia.

O Poder Legislativo, ignorando a independência dos poderes, especialmente desconsiderando que “independência” significa “autonomia” para tomar as decisões que sejam consideradas pertinentes e oportunas, resolveu, baseado não se sabe bem onde, abrir um processo punitivo ao Poder Executivo, como se esse estivesse sendo negligente nas ações tomadas para enfrentar o infortúnio do momento.

Leia Também:  A Educação em 2019, por Mario Eugenio Saturno

Constituiu uma Comissão Parlamentar de Inquéritos – CPI, que foi instituída com o objeto de apurar as possíveis omissões do Poder Executivo no tratamento de enfrentamento da Covid-19.

O referido Poder, parece estar em apuros por não ter encontrado ainda, objetivamente, nada que possa, ser considerado, como omissão de ação, no tratamento contra o vírus.

O Poder Executivo apostava no uso de um medicamento que, segundo dizem, não tem comprovação científica de sua eficiência. Entretanto há quem diga, abertamente, que a injetar uma dose de imunizante, qualquer que seja, ele também não apresenta a segurança tão sonhada de que o grau de proteção oferecido pela vacina não tem a eficiência desejada de cem por cento de eficácia.

Considerando o grau e a qualidade das ações já tomadas, em todo o Brasil, vemos que a CPI já perdeu o foco de seu objeto e hoje se encontra à deriva em direção a fatos controversos!

Professor Cícero Maia – [email protected]

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA