Política

Veja a trajetória política de Maguito Vilela, que faleceu nesta quarta-feira (13) por complicações da Covid-19; Veja fotos históricas do Jornal do Vale

Publicados

Luiz Alberto Maguito Vilela, o Maguito, costumeiramente lembrado por ter sido governador de Goiás e prefeito de Aparecida de Goiânia, é filho de Joaquim Morais Vilela e de Nazime Martins Vilela e foi criado em uma família de sete filhos.

Maguito nasceu no dia 24 de janeiro de 1949, na Fazenda Mateiro, em Jataí. Aos 17 anos, arriscou-se na carreira de jogador de futebol. Chegou a ser jogador profissional pelo time de sua cidade, o Jataiense. Foi nessa carreira que passou de “Luiz Alberto” para “Maguito Vilela”.

Aos 25, formou-se em direito na Faculdade de Direito de Anápolis. Dois anos depois, em 1976, entrou para a política, elegendo-se vereador de Jataí pelo partido Aliança Renovadora Nacional (Arena).

Em 1979, da Arena, partido apoiador da ditadura militar, Maguito passou para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que atuava na oposição ao regime. Em 1982, foi eleito, pela primeira vez, deputado estadual de Goiás, com posse no ano seguinte.

Na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, foi de vice-líder do PMDB a líder do Governo na Casa. Na época, o prefeito Iris Rezende, seu correligionário, era, pela primeira vez, governador do Estado.

Em 1986 Maguito foi eleito deputado federal constituinte por Goiás em 1986. Nessa época, o Brasil começava a viver o período de redemocratização. Em 1987, o emedebista assumiu cadeira na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) e integrou-se, como titular, à Subcomissão dos Direitos e Garantias Individuais, da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher, e, como suplente, à Subcomissão de Garantia da Constituição, Reformas e Emendas, da Comissão da Organização Eleitoral, Partidária e Garantia das Instituições.

Leia Também:  José Eliton recebe, no Palácio das Esmeraldas, piloto Rubens Barrichello

Em 1990, foi eleito vice-governador de Goiás na chapa encabeçada por Iris. Em 1994, saiu candidato a governador, com apoio do correligionário, e elegeu-se no segundo turno, disputado com Lucia Vânia, com 1.013.025 votos.

Em 1998, sua reeleição era tida como certa, mas ele saiu candidato ao Senado. Nessa época o candidato do PMDB foi Iris, que acabou perdendo para Marconi Perillo (PSDB). Maguito chegou a disputar a cadeira de governador em 2002, perdendo para o tucano, e 2006, quando foi eleito o médico e vice-governador de Marconi, Alcides Rodrigues (PP).

Em 2007, foi nomeado vice-presidente do Banco do Brasil e em 2008, foi eleito prefeito de Aparecida de Goiânia no primeiro turno, com 81,8% dos votos, cargo para o qual foi reeleito em 2012. O atual prefeito é Gustavo Mendanha (MDB), sucessor de Maguito, foi eleito em 2016 e acaba de conquistar a reeleição com recorde de votos.

Em 2020 Maguito Vilela disputou as eleições municipais e foi eleito prefeito da cidade de Goiânia, com 52,60% dos votos, para o mandato de 2021 a 2024. Ainda na UTI a posse de Maguito ocorreu por meio de uma assinatura eletrônica.

Leia Também:  Inscrições abertas para vigilantes temporários da DGAP

Maguito Vilela testou positivo para o coronavírus no dia 20 de outubro. Dois dias depois, ele foi internado em um hospital de Goiânia. No dia 26, para garantir maior suporte ventilatório e tratar as inflamações no pulmão, ele foi transferido para um leito de UTI.

Maguito sendo entrevistado pelo jornalista Waldir Marques

No dia seguinte, em 27 de outubro, o político foi levado ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para dar continuidade ao tratamento contra a Covid-19, onde permaneceu internado até a madrugada desta quarta-feira (13), onde faleceu, aos 71 anos.

Fora da política, Maguito já foi dirigente do Vila Nova Futebol Clube e vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol. Atualmente, era casado com Flávia Teles. Pai de dois filhos, Vanessa e Daniel Vilela, que hoje é presidente estadual do MDB, também foi casado com Sandra Regina Carvalho Vilela e Carmen Sílvia.

Maguito cumprimentando o jornalista Waldir Marques quando visitou Ceres, no Aeroporto local

“É com muita tristeza que recebemos essa notícia. Esperávamos a recuperação do Maguito, mas, infelizmente não era esse o plano de Deus”, disse o editor do JORNAL DO VALE, jornalista Waldir Marques, que era amigo do ex-governador e que, por diversas ocasiões, teve a oportunidade de entrevistá-lo, como mostram as fotos de arquivo do JORNAL DO VALE.

Quem compara lê o JORNAL DO VALE – Um jornal a serviço da nossa região, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESTADO

Governo de Goiás recebe mais 65,5 mil doses de vacinas e outras 30 mil chegam na quarta-feira (27)

Com conclusão da segunda etapa da campanha nacional de imunização contra Covid-19, 61% dos trabalhadores de saúde do Estado que atuam na linha de frente de combate ao vírus estarão protegidos. Meta do governador Ronaldo Caiado é incluir mais pessoas idosas no grupo prioritário. “Nossa proposta é que, nas próximas distribuições, a adequação seja feita de acordo com a faixa epidemiológica mais atingida de cada região”, afirma

Publicados

em

O governador Ronaldo Caiado recebeu neste domingo (24), mais 65,5 mil doses da vacina contra a Covid-19 e anunciou a chegada de outras 30 mil para esta quarta-feira (27). O lote de hoje refere-se à AstraZeneca, enquanto o carregamento a ser encaminhado para Goiás, ao longo da semana, é da Coronavac. Após conferência da quantidade de imunizantes remetida pelo governo federal, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) repassará as doses para todas as regionais do Estado, inclusive para as mais distantes, localizadas em Posse e Campos Belos, que partem da capital de avião.

Caiado explicou que o Ministério da Saúde (MS) definiu como grupo prioritário para esta segunda etapa da vacinação todos os profissionais de saúde que atuam diretamente com pacientes acometidos pela Covid-19. A lista inclui, na ordem, trabalhadores de hospitais públicos, filantrópicos e privados; das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs); Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergências (Siate); Unidades Básicas de Saúde (UBSs); e consultórios e laboratórios.

“Nesta segunda-feira (25), já começamos [a nova rodada] de vacinação no Estado, devido à eficiência e capacidade de articulação entre os servidores da saúde e as nossas prefeituras”, informou Caiado. “É claro que gostaríamos de incluir também os idosos nesta etapa, mas estamos seguindo uma determinação do Ministério da Saúde”, afirmou.

Leia Também:  Veja a Coluna Social do Jornal do Vale

Apesar de a nova definição do MS não inserir as pessoas da terceira idade, o governador disse que vai atuar para que, nas próximas distribuições, sejam feitas algumas mudanças: “Nossa proposta é que a adequação seja feita de acordo com a faixa epidemiológica mais atingida de cada região”, pontuou Caiado.

Titular da SES, Ismael Alexandrino disse que, com a chegada das doses da AstraZeneca, cerca de 61% dos trabalhadores de saúde goianos estarão cobertos pela vacina – 34% da primeira etapa, mais os 27% da atual. “Para esta segunda remessa, o governo federal fez um remanejamento para priorizar trabalhadores da saúde em todos os estados”, assinalou.

Alexandrino também explicou a diferença entre os imunizantes produzidos na Índia, e o fabricado no Brasil em parceria com a China. “No caso da Coronavac, é necessário esperar de 14 a 28 dias para a aplicação da segunda dose. Esse intervalo, com a AstraZenca, é maior, de três meses; por isso, toda a quantidade que chegou pode ser utilizada imediatamente. Em 12 semanas, a Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz] já terá produzido o suficiente para a continuação do calendário”, detalhou.

Leia Também:  Caminhão perde o freio e invade supermercado e deixa sete feridos

De acordo com o secretário, a vacinação total do grupo prioritário em Goiás, que envolve cerca de 1,8 milhão de pessoas, deve ser concluída no final do primeiro semestre. “Isso vai nos tirar da condição de pandemia”, destacou.

 

Fura-filas

Em relação ao comportamento de pessoas que tentam burlar a ordem do estabelecimento dos grupos prioritários, o governador Ronaldo Caiado reforçou que Goiás não vai tolerar tal atitude. “Já nos reunimos com o Ministério Público, responsável pela fiscalização, e também já tomamos medidas em casos comprovados, como o afastamento de pessoas de cargos”, exemplificou. Ismael Alexandrino acrescentou que uma lista com a quantidade de doses encaminhada para cada prefeitura também foi endereçada aos promotores que atuam no interior.

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

JORNAL DO VALE – Um jornal a serviço da nossa região, desde 1975 – www.jornaldovale.com

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA