Plantão Policial

Vereador de Vila Propício é suspeito de envolvimento em morte de gerente de fazenda baleado dentro de carro

Conforme a Polícia Civil, a vítima foi atingida por três tiros e morreu no local. O crime foi registrado no sábado (8), quando a vítima e o colega voltavam para a fazenda. Segundo o delegado, eles haviam ido até o supermercado, que pertence ao vereador, fazer compras e foram abordados no caminho de volta para casa.

Publicados

Vereador de Vila Propício é suspeito de envolvimento em morte de gerente de fazenda baleado dentro de carro. Foto: PM

Um vereador de Vila Propício no Vale do São Patrício, é suspeito de envolvimento na morte do gerente de uma fazenda que foi baleado dentro de um carro na zona rural do município. Conforme a Polícia Civil (PC), a vítima foi atingida por três tiros e morreu no local. Um colega de trabalho dele também foi atingido, mas sobreviveu.

Eles foram abordados por um indivíduo em uma motocicleta portando um revólver, que deu alguns disparos de arma de fogo. O motorista que levou três tiros infelizmente veio a falecer no local e o passageiro tomou um tiro superficial e sobreviveu, disse o delegado Marco Antônio Maia.

O crime foi registrado no sábado (8), quando a vítima e o colega voltavam para a fazenda. Segundo o delegado, eles haviam ido até o supermercado, que pertence ao vereador, fazer compras e foram abordados no caminho de volta para casa.

“Eles [vítimas] estiveram nesse supermercado e uma das testemunhas relata que ele [vereador] é o autor. O vereador entrou em contato, já com o advogado, falando que estavam comentando que seria ele o autor do crime e que estava disponível para prestar os devidos esclarecimentos. Ele foi levado para a delegacia e apresentou uma pistola, que tem porte e registro, e negou os fatos. Disse que em nenhum momento saiu do seu estabelecimento comercial”, explicou o delegado.

Leia Também:  PRF apreende pasta base de cocaína em ônibus em Rio Verde; Vídeo

De acordo com a PC, o vereador foi ouvido e liberado. No entanto o fato é investigado com homicídio e tentativa de homicídio. O plantão entendeu que não tinha elementos suficientes para fazer o flagrante e não fez. Já estamos fazendo os primeiros levantamentos e a gente acredita que ainda essa semana a gente tem novidades sobre esse caso. As pessoas na cidade falam que é ele e a própria vítima sobrevivente fala que é ele. Agora cabe à PC confirmar ou não se ele é o executor, enfatizou o delegado.

O nome do vereador não foi divulgado e por tais razões nossa reportagem não localizou a sua defesa. Já Câmara Municipal de Vila Propício disse que por enquanto, não vai se posicionar sobre o caso.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PLANTÃO POLICIAL

PC realiza operação contra grupo suspeito de falsificar documentos para pagamentos judiciais de mais de R$ 30 milhões; Assista

Conforme a PC, estão sendo cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão em Goiás e em outros cinco estados da federação.

Publicados

em

PC realiza operação contra grupo suspeito de falsificar documentos para pagamentos judiciais de mais de R$ 30 milhões. Foto: PC

Na manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Civil (PC) está cumprindo 33 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão contra um grupo suspeito de aplicar golpes contra a administração pública, envolvendo o levantamento de alvarás de pagamentos judiciais fraudulentos. O prejuízo, segundo as investigações da PC é de R$ 31,8 milhões.

No estado de Goiás, estão sendo cumpridos mandados em Goiânia, Trindade, Aparecida, Anápolis e Anicuns. Há ainda cumprimentos nos estados da Bahia, Rio de Janeiro, Tocantins, Maranhão e Pará.

Primeira fase da operação

Na primeira fase da operação denominada “Alvará Criminoso”, que foi deflagrada em novembro de 2022, a PC já havia cumprido 27 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão preventiva. Na ocasião, os investigadores apuraram que o grupo tinha como modo de agir a falsificação de alvarás judiciais.

Leia Também:  PC prende no MS suspeito de arrombar cofres de farmácias

Conforme a PC, advogados cediam acesso ao sistema do Tribunal de Justiça e assinavam os documentos como se fossem juízes. Com os alvarás fraudulentos em mãos, outros integrantes do grupo levantavam os respectivos valores que se encontravam depositados nas contas judiciais.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA