Política

Maguito Vilela tem estado grave em luta contra infecção de bactérias e fungos no pulmão, avalia médico

O médico Marcelo Rabahi contou que Maguito está o tempo todo sedado e depende de medicamentos para controlar a pressão

Publicados

O prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela (MDB) segue internado em tratamento combatendo infecção de bactérias e fungos no pulmão. Conforme o médico Marcelo Rabahi, Maguito está em estado considerado grave e sedado o tempo todo.

“Foi identificada infecção bacteriana e fúngica nos pulmões e ele está tomando antibióticos. Quadro é grave pela fragilidade dele. Não teve piora, mas ainda não voltou ao que estava antes”, avaliou Rabahi.

Ainda conforme Rabahi, Maguito voltou para a ventilação controlada e precisa dos medicamentos para controlar a pressão (drogas vasoativas).

Maguito completou no domingo (10), 80 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele se recupera de problemas causados pela Covid-19, da qual já está curado.

Conforme o filho de Maguito, Daniel Vilela, informou na sexta-feira (8), que o pai está reagindo bem ao uso dos antibióticos para tratar a infecção. No dia, Daniel disse ainda que essa é uma intercorrência considerada normal para casos tão prolongados de internação, mas que toda família está confiante.

Leia Também:  Ministra Cármen Lúcia chega a Goiânia para reunião sobre sistema prisional

Maguito foi empossado como prefeito de Goiânia no dia 1º por assinatura eletrônica, direto da UTI. No entanto, no mesmo dia foi pedido afastamento do cargo para continuar o tratamento. O vice, Rogério Cruz (Republicanos), assumiu a administração municipal.

Quem compara lê o JORNAL DO VALE, desde 1975 – Um jornal a serviço da nossa região – www.jornaldovale.com

Aqui o jornalismo é profissional, sério, ético e imparcial

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESTADO

Governo de Goiás recebe mais 65,5 mil doses de vacinas e outras 30 mil chegam na quarta-feira (27)

Com conclusão da segunda etapa da campanha nacional de imunização contra Covid-19, 61% dos trabalhadores de saúde do Estado que atuam na linha de frente de combate ao vírus estarão protegidos. Meta do governador Ronaldo Caiado é incluir mais pessoas idosas no grupo prioritário. “Nossa proposta é que, nas próximas distribuições, a adequação seja feita de acordo com a faixa epidemiológica mais atingida de cada região”, afirma

Publicados

em

O governador Ronaldo Caiado recebeu neste domingo (24), mais 65,5 mil doses da vacina contra a Covid-19 e anunciou a chegada de outras 30 mil para esta quarta-feira (27). O lote de hoje refere-se à AstraZeneca, enquanto o carregamento a ser encaminhado para Goiás, ao longo da semana, é da Coronavac. Após conferência da quantidade de imunizantes remetida pelo governo federal, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) repassará as doses para todas as regionais do Estado, inclusive para as mais distantes, localizadas em Posse e Campos Belos, que partem da capital de avião.

Caiado explicou que o Ministério da Saúde (MS) definiu como grupo prioritário para esta segunda etapa da vacinação todos os profissionais de saúde que atuam diretamente com pacientes acometidos pela Covid-19. A lista inclui, na ordem, trabalhadores de hospitais públicos, filantrópicos e privados; das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs); Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergências (Siate); Unidades Básicas de Saúde (UBSs); e consultórios e laboratórios.

“Nesta segunda-feira (25), já começamos [a nova rodada] de vacinação no Estado, devido à eficiência e capacidade de articulação entre os servidores da saúde e as nossas prefeituras”, informou Caiado. “É claro que gostaríamos de incluir também os idosos nesta etapa, mas estamos seguindo uma determinação do Ministério da Saúde”, afirmou.

Leia Também:  Goiás é um dos únicos estados a cobrar pela CNH digital; confira

Apesar de a nova definição do MS não inserir as pessoas da terceira idade, o governador disse que vai atuar para que, nas próximas distribuições, sejam feitas algumas mudanças: “Nossa proposta é que a adequação seja feita de acordo com a faixa epidemiológica mais atingida de cada região”, pontuou Caiado.

Titular da SES, Ismael Alexandrino disse que, com a chegada das doses da AstraZeneca, cerca de 61% dos trabalhadores de saúde goianos estarão cobertos pela vacina – 34% da primeira etapa, mais os 27% da atual. “Para esta segunda remessa, o governo federal fez um remanejamento para priorizar trabalhadores da saúde em todos os estados”, assinalou.

Alexandrino também explicou a diferença entre os imunizantes produzidos na Índia, e o fabricado no Brasil em parceria com a China. “No caso da Coronavac, é necessário esperar de 14 a 28 dias para a aplicação da segunda dose. Esse intervalo, com a AstraZenca, é maior, de três meses; por isso, toda a quantidade que chegou pode ser utilizada imediatamente. Em 12 semanas, a Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz] já terá produzido o suficiente para a continuação do calendário”, detalhou.

Leia Também:  Operação Férias Fim de Ano será lançada na segunda-feira dia 3

De acordo com o secretário, a vacinação total do grupo prioritário em Goiás, que envolve cerca de 1,8 milhão de pessoas, deve ser concluída no final do primeiro semestre. “Isso vai nos tirar da condição de pandemia”, destacou.

 

Fura-filas

Em relação ao comportamento de pessoas que tentam burlar a ordem do estabelecimento dos grupos prioritários, o governador Ronaldo Caiado reforçou que Goiás não vai tolerar tal atitude. “Já nos reunimos com o Ministério Público, responsável pela fiscalização, e também já tomamos medidas em casos comprovados, como o afastamento de pessoas de cargos”, exemplificou. Ismael Alexandrino acrescentou que uma lista com a quantidade de doses encaminhada para cada prefeitura também foi endereçada aos promotores que atuam no interior.

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

JORNAL DO VALE – Um jornal a serviço da nossa região, desde 1975 – www.jornaldovale.com

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA