Judiciário

MP denuncia quatro proprietários de uma clínica de reabilitação por sequestro e cárcere privado

O grupo está preso desde o dia 20 deste mês e 40 vítimas já foram resgatadas

Publicados

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) denunciou quatro proprietários de uma clínica de reabilitação em Aparecida de Goiânia por sequestro e cárcere privado. Conforme o órgão, pessoas eram levadas a força para o local e permaneciam por mais de 15 dias na clínica, que fica no Jardim dos Buritis.

O grupo suspeito está preso desde o dia 20 deste mês e 40 vítimas já foram resgatadas. Segundo informações da promotora de justiça Simone Campos, em um dos casos, uma equipe da clínica foi até a residência de uma das vítimas, a segurou e obrigou a tomar um medicamento que a dopou.

Em seguida, ela foi levada para a clínica, onde ficou de 22 de novembro do ano passado até 20 de abril deste ano. Foi apurado ainda pelo Ministério Público, que o estabelecimento funcionava desde 2019 de forma clandestina.

No dia 20 de abril, após denúncia, equipe foi até a clínica, que não possuía as mínimas condições de funcionamento. Os quatro responsáveis pelo local foram presos em flagrante. Os envolvidos não tiveram os nomes divulgados.

Leia Também:  MP realiza operação para apurar desvios e fraudes na Prefeitura de Itaberaí

Quem compara lê o JORNAL DO VALE – Um jornal a serviço da nossa região, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

JUSTIÇA

STF dá prazo para Anvisa detalhar documentos pendentes da Sputnik V

Publicados

em


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski deu hoje (10) prazo de 48 horas para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informe quais documentos estão faltando para análise definitiva do pedido de autorização para importação e aplicação da vacina Sputnik V, usada na imunização contra a covid-19. O imunizante é produzido pelo Instituto Gamaleya, da Rússia.

A decisão foi tomada a partir de uma petição protocolada pelo governo do Maranhão, que, em conjunto com outros estados, aguarda autorização da Anvisa para aplicação dos imunizantes. 

“Preliminarmente, informe a Anvisa, em 48 horas, de maneira pormenorizada, quais os documentos faltantes para uma análise definitiva do pedido de autorização excepcional e temporária de importação e distribuição da vacina Sputnik V, subscrito pelo estado do Maranhão, sem prejuízo de franquear-lhe, de imediato, o pleno acesso aos autos do Processo SEI no 25351.908872/2021-00, o qual, segundo alega, tem sido obstado pela agência”, decidiu. 

No dia 26 de abril, a Anvisa negou a autorização para a importação e o uso emergencial do imunizante russo. Ao analisar os documentos recebidos, a agência apontou uma série de problemas, entre eles, a falta de alguns documentos e a presença de adenovírus com capacidade de replicação no corpo dos pacientes que receberem doses da vacina.

Leia Também:  TSE faz parceria com agências de checagem para identificar fake news

A reportagem entrou em contato com a agência e aguarda retorno.

Edição: Aline Leal

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA