Plantão Policial

PC realiza prisão e indicia homem por estupro e homicídio de Amélia Vitória

Conforme o delegado do Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia (GIH), Eduardo Rodovalho, o homem utilizou uma bicicleta para raptar a vítima, além disso, há a suspeita que ele tenha ameaçado e intimidado Amélia com o uso de uma faca.

Publicados

Janildo da Silva Magalhães tem 38 anos. Foto: PC

A Polícia Civil (PC) concluiu as investigações em relação ao caso da adolescente Amélia Vitória de 14 anos, que havia desaparecido na quinta-feira (30) ao sair para buscar a irmã em uma escola no Parque Hayala, em Aparecida de Goiânia.

As investigações da PC apontaram para violência sexual e morte por asfixia. De acordo com o autor do crime, identificado como Janildo da Silva Magalhães de 38 anos, foi preso nesta segunda-feira (4). O homem responde por outro crime de estupro, cometido em 2017, no município de Rio Verde, além de tráfico de drogas, furto e homicídio, este último praticado dentro do sistema penitenciário. Com isso, o primeiro homem apontado como suspeito do crime foi solto.

A PC chegou até o real autor do crime após resultados de laudos de material genético realizado pela Polícia Técnico Científica. O exame de DNA identificou material genético de Janildo da Silva no corpo da adolescente.

Leia Também:  Em Anápolis, dois bandidos de alta periculosidade fogem de presídio

Conforme o delegado do Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia (GIH), Eduardo Rodovalho, o homem utilizou uma bicicleta para raptar a vítima, além disso, há a suspeita que ele tenha ameaçado e intimidado Amélia com o uso de uma faca.

Também, de acordo com o delegado, Janildo levou a adolescente para uma região de mata, onde teria praticado o crime de violência sexual atrás de um imóvel.

Em seguida, Janildo levou Amélia para uma outra casa, local onde passou a noite e cometeu crimes sexuais contra a jovem. No imóvel, a PC identificou sangue em um colchão. Amélia foi morta por asfixia.

No sábado (2), o homem arrastou o corpo de Amélia por aproximadamente 20 metros da casa onde a violência sexual e o homicídio foram praticados. A polícia suspeita que o autor utilizava o imóvel, aparentemente abandonado, para guardar objetos furtados e drogas.

“O autor do crime, residente no bairro Independência Mansões, teria saído na quinta-feira para praticar crimes de furto e roubo na região. Ao avistar a vítima, a raptou e cometeu o crime de estupro e homicídio”, explicou Rodovalho.

Leia Também:  Acidente na BR-153 deixa uma vítima fatal e uma ferida, em Porangatu

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PLANTÃO POLICIAL

Tesoureiro de banco é suspeito de desviar R$ 3,5 milhões para jogos virtuais

O BRB realizou denúncia após perceber irregularidades contábeis em uma das agências do DF.

Publicados

em

Um tesoureiro de uma agência do Banco de Brasília S.A. (BRB) é alvo de uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal (PC-DF) por suspeita de desviar R$ 3,5 milhões para jogos de apostas virtuais.

Conforme informações, o BRB realizou a denúncia após perceber irregularidades contábeis em uma das agências do Distrito Federal. A PC-DF deflagrou a operação com mandados de busca e apreensão, além do bloqueio de valores das contas do investigado.

O suspeito retirava o dinheiro e depositava em sua conta pessoal e por ter acesso ao cofre e saber das operações de caixa, ele falsificava documentos para esconder os desvios da tesouraria.

O homem usava o dinheiro para jogos de apostas virtuais, indicou a investigação. A PC-DF ainda apura se outros servidores estiveram envolvidos no esquema.

Houve o bloqueio de R$ 3,5 milhões e a investigação ainda conseguiu o bloqueio judicial de valores na conta corrente, ativos financeiros, investimentos e seguros de vida no nome do servidor até o montante supostamente desviado.

Leia Também:  Morre aos 84 anos o humorista e escritor Jô Soares

O homem que não teve o nome divulgado é investigado por peculato e lavagem de dinheiro e as penas podem chegar a 22 anos de prisão.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA