Justiça Eleitoral

TRE cassa mandato de Gabriela Rodart na Câmara de Goiânia

A medida eleitoral foi movida pelo partido Democracia Cristã (DC) por infidelidade partidária.

Publicados

A ação foi movida pelo partido Democracia Cristã (DC) por infidelidade partidária. Foto: Reprodução.

O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) rejeitou nesta quinta-feira (16), defesa da vereadora de Goiânia Gabriela Rodart (PTB) e decidiu pela cassação do mandato da parlamentar. A ação foi movida pelo partido Democracia Cristã (DC) por infidelidade partidária.

Os membros do Tribunal seguiram o voto do relator Márcio Antônio de Sousa Moraes Júnior. A decisão ainda pode ser levada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O DC alega que Rodart se desfiliou ao partido fora da janela partidária. A Câmara Municipal de Goiânia ainda não foi notificada da decisão.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ceres, candidatos iniciam suas campanhas pelas redes sociais
Propaganda

ELEIÇÕES

Justiça Eleitoral alerta para o golpe da consulta de votos

Bolsonaristas utilizam a plataforma para ”comprovar fraude nas eleições”.

Publicados

em

Mais uma fake news circula na internet envolvendo as eleições 2022. Grupos de bolsonaristas tem compartilhado um link de um site chamado “Veja Seu Voto” que, segundo afirmações deles, nas redes sociais, o site revela em quem a pessoa votou nestas eleições.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) que não aceitam a derrota para o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), estavam utilizando a plataforma para comprovar “fraude eleitoral” nas eleições. Em um dos vídeos que circulam na internet, uma mulher mostra indignação pelo suposto resultado de voto, utilizando o número do CPF de seu marido, que segundo ela falecido há 12 anos, e o site mostra que ele teria votado no 13.

Conforme a mensagem que circula nas redes, para saber o candidato no qual a pessoa votou, basta entrar na página e digitar o número do CPF e em seguida o site revela o voto. Portanto, a página não utiliza nenhum tipo de informação que corresponde a Justiça Eleitoral.

O professor do Departamento de Computação da UFSCar, Paulo Matias, disse, em entrevista ao site TecMundo, que o endereço eletrônico vejoseuvoto.info, provavalemente se trata de um “código server-side”, que tira hash do CPF, mesmo sendo inválido. Assim, se for par, ele automaticamente solta o 22, se for ímpar, solta o 13.

Leia Também:  Líderes da Europa, Venezuela e Bolívia cumprimentam Bolsonaro

Isso significa que o site faz uma série de operações matemáticas com o número do CPF do cidadão e, caso o resultado seja um número ímpar, é mostrado um voto na sigla 13 (PT). Do contrário, caso seja par, é mostrada a sigla 22 (PL).

Sigilo do voto 

Conforme explica a Justiça Eleitoral, o voto digitado na urna eletrônica, além de sigiloso, é inviolável, conforme prevê a Constituição Federal. Além disso, o órgão explica que não há como vincular a autoria de um voto registrado na urna a um eleitor específico.

Portanto, segundo a Justiça Eleitoral, não é possível conhecer o voto de cada eleitora ou eleitor. O log da urna, registro das atividades de funcionamento pode ser acessado pelo Portal de Dados Abertos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pelo aplicativo Resultados. Mas, apesar de ser um arquivo público, ele não registra informações como número do título de eleitor e nem revela voto.  O armazenamento dos votos é feito de modo que ninguém, nem mesmo a Justiça Eleitoral, possa saber em que candidato cada eleitor votou.

Leia Também:  Maioria dos deputados goianos quer reduzir maioridade penal

A Justiça Eleitoral alerta ainda para que as pessoas tenham cuidado ao digitar seus dados pessoais, como CPF, título de eleitor ou qualquer outra informação nesse ou em qualquer outro site, pois pode haver risco de uso indevido dos dados dos eleitores.

Passados mais de um mês das eleições, ainda há pessoas que insistem que houve fraude no pleito. Isso acontece mesmo quando todas as informações disponibilizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), verificadas, inclusive, pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e diversas Missões de Observação Eleitorais (MOEs) nacionais e internacionais, mostram taxativamente que todo o processo de apuração e totalização dos resultados ocorreu de maneira segura e transparente.

JORNAL DO VALE – Muito mais que um jornal, desde 1975 – www.jornaldovale.com

Siga nosso Instagram – @jornaldovale_ceres

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a redação do JORNAL DO VALE, através do WhatsApp (62) 98504-9192

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VALE SÃO PATRÍCIO

PLANTÃO POLICIAL

ACIDENTE

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA